loader

Show do Mês “imortaliza” sucessos de Bangão

Uma das vozes mais representativas do Semba, quis o destino que partisse para o outro lado da vida, precocemente, por doença há três anos, porém diz o ditado: “vão-se os homens e ficam as obras” Cuidado

Texto de: Jorge Fernandes

O encontro está uma vez mais marcado no quadro da estação da quinta temporada do projecto mensal “Show do Mês” que, para os dias 29 e 30, tem agendado o concerto de memórias “Cantar Bangão”, no auditório do Royal Plaza, em Talatona, a partir das 21 horas. Quatro intérpretes, designadamente Mister Kim, Bangãozinho, Chilola e Guilhermino, estão designados para a missão de cantar a música de Bangão, cujos maiores sucessos estão enraizados nas matrizes do Semba e da Rumba. “Dioguito”, “Fofucho”, Kingila”, “Kamba dyami”, “Garina do Swegue”, “Kakixaka”, “Kitem-bu”, “Kanjila”, “Kibuikila”, “Kalumba Seleta”, são alguns temas do vasto e rico reportório a ser apresentado por músicos talentosos sob condução do guitarrista Diogo Sebastião “Quintino”, músico que está por detrás de inúmeros sucessos da música popular angolana mais recente.

Chico Santos (Congas), Yasmane (Percursão), Apolinário (Bateria), Beny (Teclados), Teddy Nsingui (Guitarra solo), Mias (Guitarra baixo), Raidel (Trompete), Rigoberto (Saxofone), Lázaro (Trombone), Inês (Violino), Cupull (Celo), Yadira e Tchilo (Coros), perfazem o leque de artistas. Expectativas As expectativas são elevadas como referiu a OPAÍS, Nelson Cantos, membro da organização, porquanto os concertos estão a ser preparados ao pormenor, para que se apresente música com a qualidade que a Nova Energia tem proporcionado ao longo destes anos.

Por outro lado, pelas redes sociais, muitos cidadãos na diáspora lamentam o facto de não poderem disfrutar presencialmente desse momento, vivendo de forma intensa as emoções deste concerto memorável. Não sendo possível, o “remédio” será a sua visualização através do canal Youtube.

“Não podemos ter Bangão fisicamente, infelizmente, mas certamente teremos um concerto à sua dimensão. Era um homem brilhante, com timbre vocal peculiar e uma ginga a seu jeito, e não é à toa que ficou baptizado como Bangão”, escreveu um internauta.

Trajectória Bernardo Jorge Martins Correia, “Bangão”, nasceu a 27 de Setembro de 1962, no bairro Brás, distrito do Sambizanga, faleceu a 17 de Maio de 2015, vítima de doença, na África do Sul, onde esteve internado desde Fevereiro do mesmo ano. Bangão pisou pela primeira vez um palco a 18 de Outubro de 1978, como integrante do grupo os Gingas Kakulo Kalunga.

A sua trajectória regista passagem pelo agrupamento “Tradição”, em 1974, que integrava, entre outros, Alaito (tumbas) e André Lua (voz). De 1976 a 1977, como vocalista, integrou o grupo Processo de África, com Guncha (tumbas), Artur Décimo (viola baixo), Alaito (bateria) e Abílio (viola ritmo). Em 1996, venceu o prémio Liceu Vieira Dias, com o tema “Kibuikila” (Peste), acompanhado pela Banda Movimento.

Em plena ascensão na sua carreira, em 1999 Bangão é convidado a ingressar na Banda Movimento, sempre como vocalista.

No mesmo ano, venceu a primeira edição do concurso Semba de Ouro, com a canção “Kangila” (pássaro agoirento) e afirmou-se como cantor e compositor de inequívocos créditos firmados. Em 2005 venceu o Top dos Mais Queridos, da Rádio Nacional de Angola (RNA).

Últimas Notícias