loader

A investir no tratamento do cabelo crespo pelo país

A sua proprietária, a empreendedora Maria Fernandes Quissanga Quizomba, também conhecida por Marines Quizomba, acredita ser o primeiro “Salão Crespo de Luanda. A jovem mulher prepara-se agora para lançar uma linha de produtos com o seu nome e expandir o negócio pelo país

POR: Brenda Sambo

É cabeleireira há quatro anos e já criou o seu próprio negócio. Aos 29 anos de idade, Marines Quizomba é dona do salão de beleza o Cantinho Natural, localizado no bairro da Estalagem, em Viana. Marines conta que largou o emprego e passou a dedicar-se exclusivamente ao seu salão de beleza que cuida apenas do cabelo natural . A jovem ambiciona agora abrir um salão de beleza em cada província do país. Para já, acontece o lançamento da linha de produtos naturais para cabelo. No seu salão, a cabeleira formada em contabilidade conta com oito colaboradores, admitidos depois de um processo de formação, num centro que ela mesma criou, junto ao salão.

“Damos formação para o tratamento de cabelos com problemas capilar como caspa, queda, enfraquecimento e incentivamos o uso do cabelo natural, dando explicações”, disse. Explica que a ideia de abrir um salão surgiu em 2013, quando começou a usar o cabelo natural, por influência de um grupo do facebook denominado “ Angolanas Naturais e Amigos”. Depois de conhecer o grupo, Marines começou a ganhar gosto pelo cabelo natural. E foi daí que decidiu cortar o cabelo e passar a cuidar do seu cabelo de forma natural. “No princípio eu colocava as fotos dos penteados no facebook, facto que despertou o interesse de muitas jovens”. Passamos então a receber pedidos de pessoas interessadas. Como os pedidos aumentavam decidi abrir um salão”, lembra. O primeiro e até então único salão do qual é proprietária, abriu as portas em Abril de 2014, com o nome de “ O Cantinho NaturaL”.

Antes de se tornar empreendedora, com o salário que ganhava na empresa onde trabalhava, Marines foi fazendo poupança para até acumular dinheiro suficiente que lhe permitiu ter o “edifício” onde funciona hoje o seu salão. “Inicialmente eram Kz 50 mil. Mas depois fui fazendo outros investimentos, aliás, os investimentos até agora não param”, assegurou, acrescentando que no começo era um espaço pequeno com poucas condições, o salão tinha apenas um espelho e duas cadeiras brancas. Ainda não está como eu desejo mas já está com melhor organização que antes”, referiu.

A principal dificuldade para Marines é adquirir os produtos no mercado nacional, pois, segundo ela, já existem vários salões de beleza, sublinhando que neste caso a melhor forma de se manter no mercado é apostar na criatividade. Com medo de baixar o rendimento, uma vez que os lucros eram bons, depois de um ano Marines decidiu largar o emprego onde ganhava Kz 90.000 e cuidar do seu próprio negócio. “Tive de tomar uma decisão, entre permanecer no emprego e continuar a ter um rendimento baixo, ou sair do emprego e apostar no meu projecto. Foi assim que preferi apostar no meu projecto”, reiterou. Diz que no seu anterior emprego auferia Kz 90 mil, valor que agora pode conseguir (lucro) durante um final de semana.

Projectos

Neste momento, a empresária quer expandir o seu negócio. Por isso, outros salões serão abertos a partir do próximo ano. Para a história fica o salão que estava localizado no Distrito da Samba, município de Luanda. A contabilista quer continuar a participar em feiras artesanais, pois entende ser uma boa ocasião para publicitar o seu negócio. Ainda no âmbito da formação, é seu desejo continuar a realizar workshops para que as pessoas conheçam mais sobre o cabelo natural e a ligação que tem com a saúde e bem-estar.

Formação

O salão que foi reabilitado recentemente conta ainda com uma sala de formação para jovens que queiram saber mais sobre como cuidar do cabelo. A formação é realizada duas vezes por ano e conta neste momento com 30 formandos, sendo que

Últimas Notícias