loader

EUA afirma que outro americano sofre de doença estranha na sua embaixada em Cuba

O Departamento de Estado dos EUA disse que outra pessoa foi afectada por problemas de saúde na Embaixada dos EUA em Cuba, elevando para 26 o número de americanos que sofreram doenças misteriosas naquele país.

O caso mais recente e outro confirmado em 21 de Junho, envolvem efeitos sobre a saúde semelhantes aos relatados por outros membros da comunidade diplomática dos EUA em Havana e foram os primeiros desde Agosto de 2017, diz o Departamento de Estado num comunicado. Especialistas americanos precisam determinar ainda quem ou o que está por trás das misteriosas doenças, que começaram no final de 2016. As autoridades cubanas, que estão a conduzir a sua própria investigação, negaram qualquer envolvimento ou conhecimento sobre o que estava por trás disso.

O comunicado do Departamento de Estado diz que os dois casos confirmados este mês “resultam de uma única ocorrência no final de Maio numa residência diplomática em que dois polícias estavam presentes”. Eles elevaram o número de americanos afectados para 26. A administração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que reduziu parcialmente o desanuviamento com Cuba, primeiro acusou que os diplomatas foram vítimas de “ataques sónicos” e Cuba, como o país anfitrião foi, no mínimo, responsável pela sua segurança. Washington reduziu drasticamente, no ano passado, a equipa da Embaixada dos EUA em Havana, e, em Outubro, expulsou 15 diplomatas cubanos.

Os sintomas entre os afectados incluem perda de audição, zumbido, vertigens, dores de cabeça e fadiga, um padrão consistente com “lesão cerebral traumática leve”, disseram funcionários do Departamento de Estado. Em Abril, o Canadá disse que retiraria as famílias de diplomatas afixados na sua embaixada em Cuba, já que informações de especialistas médicos levantaram preocupações sobre um novo tipo de lesão cerebral. O Departamento de Estado dos EUA disse, neste mês, que levou um grupo de diplomatas de Guangzhou, na China, para casa devido a preocupações de que sofriam de uma doença que se assemelha a uma lesão cerebral.

Últimas Notícias