loader

Research Atlantico: Receitas fiscais entre Janeiro e Março deste ano situaram-se em Kz 1.042,07 mil milhões

O montante arrecadado corresponde um aumento de 13,38% face ao período anterior

POR: Atlantico

Espaço Angola

A conta de bens registou um excedente de 6.927,45 milhões USD, no primeiro trimestre de 2018, um incremento de 41,36% face ao trimestre homólogo. As receitas fiscais apuradas entre os meses de Janeiro e Março do corrente ano situaram-se em 1.042,07 mil milhões AOA, um aumento de 13,38% em relação ao período anterior.

Espaço Internacional

EUA: A taxa de crescimento do Produto Interno Bruto referente ao primeiro trimestre de 2018 registou uma desaceleração de 0,9 p.p. face ao trimestre anterior, situando- se em 2%.  Japão: A taxa de desemprego fixou-se em 2,2% durante o mês de Maio, que corresponde a uma redução de 0,3 p.p. em comparação ao mês anterior.

Visão Atlantico

As receitas fiscais apuradas entre os meses de Janeiro e Março do corrente ano situaram-se em 1.042,07 mil milhões AOA, um aumento de 13,38% em relação ao período anterior. O montante arrecadado durante o período em análise representa 25,2% do total previsto no Orçamento Geral de Estado (OGE) para o exercício económico de 2018, e poderá reflectir a recuperação dos preços de petróleo nos mercados internacionais, com impacto sobre os preços das ramas angolanas que fixaram-se em 65,62 USD/barril, al como, a depreciação da Kwanza face ao dólar que situou-se em 214 AOA por unidade de dólar, um aumento de 0,78 e 22,51%, respectivamente. Destaca- se que o OGE 2018 prevê arrecadar receitas totais no montante de 4.404,2 mil milhões AOA, um aumento de 35% face as projecções de fecho de 2017.

A taxa de crescimento do Produto Interno Bruto referente ao primeiro trimestre de 2018 registou uma desaceleração de 0,9 p.p. face ao trimestre anterior, situando- se em 2%. A redução da taxa de crescimento reflecte a queda apurada no consumo privado de bens, exportações, importações e nos gastos públicos, de 8,2 p.p., 3,4 p.p., 10,9 p.p., e 1,7 p.p., respectivamente. A normalização da política monetária, aliada às incertezas resultantes das políticas proteccionistas adoptadas pela administração Trump, poderá ter contribuído para a inversão do desempenho positivo da economia, a partir do terceiro trimestre de 2017. Durante o período em análise, apenas os investimentos privados registaram aumentos, de 2,8 p.p., o que poderá reflectir a adopção de incentivos fiscais nos Estados Unidos da América. Importa ressaltar que o actual desempenho da economia norte-americana corresponde ao menor nível dos últimos quatro trimestres.

Últimas Notícias