loader

Ana Liliana Avião eleita Miss Angola 2018

A candidata eleita, escolhida pela mesa de jurados diante de 18 candidatas vai receber vários prémios, entre tratamento de beleza durante um ano, jóias, materiais decorativos de um quarto, um quite completo de cozinha e um telemóvel

A concorrente Ana Liliana Avião, de 23 anos, finalista do curso de Gestão Empresarial e Negócios, residente na região europeia de Benelux foi eleita na madrugada de Sábado, 30, a Miss Angola 2018. A Miss vai receber vários prémios, entre tratamento de beleza durante um ano, jóias, materiais decorativos de um quarto, um quite completo de cozinha e um telemóvel.

Ana Liliana Avião que sucedeu o trono de Lauriela Martins foi a escolhida pela mesa de jurados diante de 18 candidatas, provenientes das 18 províncias do país, numa gala sob condução dos apresentadores Igor Benza e Zuleica Wilson.

A Miss Angola 2018, que reconheceu o potencial das demais concorrentes, mostrou-se satisfeita com a vitória, tendo agradecido a Deus pela conquista e por ter concretizado um dos seus sonhos, de ser Miss Angola. “Ainda não acredito que fui a eleita. Uma menina que saiu de Angola aos seis anos, para viver na Holanda e depois de 17 anos ser eleita a Miss Angola parece um sonho. Parece que estava a dormir e acordei Miss”, disse.

A Miss avançou que se sente preparada para cumprir com o seu mandato e representar o país em vários eventos, como no concurso Miss Universo.

Durante o mandato Ana Avião vai desenvolver um projecto social, onde pretende conectar empresas angolanas com investidores holandeses.

“É uma câmara de comércio angolana, localizada na Holanda, com a qual trabalho, onde tento manter essa conexão. Este é o meu projecto social, que agora está a ser realizado e pretendo também realizar no meu país”, avançou.

A Miss disse ainda que “sonha com uma Angola que faça parte da economia global, e fará tudo que estiver ao seu alcance para levar Angola aos mais altos níveis no sector da economia”. Ana Liliana Avião, que viveu 17 anos no exterior, aproveitou o momento para se desculpar, pelo facto de apresentar algumas difi culdades em falar o português.

“Desculpa pelo meu português, não é muito perfeito, mas estou a melhorar. Inicialmente foi difícil, mas o Comité Miss Angola e as candidatas ajudaram-me bastante. Por algum momento senti-me triste por não falar bem o português, devido ao tempo que vivo no exterior, mas sei que tudo é possível”, enfatizou.

A mesa de jurados presidida pelo empresário José Mário dos Santos contou com a participação da modelo Maria Borges, a estilista Rose Palhares, o jornalista Amílcar Xavier, a Miss Angola 2016, Luísa Baptista, o empresário Makito Daniel, o director Nacional de Promoção Turística, Lukeni Araújo, a directora de Operações da AKI, Sónia Cunha e a cantora Anabela Aya.

Outras nomeações

Durante a gala que teve a duração de mais de duas horas foi ainda eleita Núria Nunes, candidata do Cuanza-Norte como a primeira-dama de honor, enquanto Indira Cândido, do Cunene, segunda dama. As mesmas receberão como prémio telemóveis, jóias, kit gourmet e um curso de auto maquiagem.

A segunda dama de honor, Indira Cândido, referiu que está feliz com a escolha da mesa de jurados, e acredita que a Miss eleita saberá representar o país. “Acredito que não fui a escolhida por não ter mostrado fi rmeza. Confesso que estive um pouco nervosa. Mesmos assim desejo sorte à nossa Miss”, disse.

A mesa de jurados elegeu ainda Delfi na Catumbila, representante da província do Cuanza-Sul, como Miss Fotogenia, enquanto Vilma Lopes, candidata da Huíla, com o prémio de melhor traje tradicional. O título de Miss Simpatia coube a Maria Pinto, natural de Benguela, escolhida pelas candidatas. A gala de eleição da Miss Angola 2018 foi animada pelo músico Yuri da Cunha, Zona 5, Selda e Edmásia Mayembe, que cantaram os seus temas musicais de sucesso.

Causa social

A directora do Comité Miss Angola, Janaina Perroni, referiu que o processo de formação das candidatas teve a duração de um mês, que permitiu a realização de aulas de cultura geral, culinária e etiqueta.

“É um crescimento para elas. Durante esse tempo criaram uma amizade que poderão levar em diante”, considerou. A responsável realçou que os critérios para a eleição da Miss estiveram relacionados com a simpatia, humildade, inteligência, assim como a disponibilidade de abraçar as causas sociais desenvolvidas no país.

A directora avançou que o Comité Miss Angola os convidados disponibilizaram materiais gastáveis para doação no hospital de hidrocefalia, em Luanda, tendo referido que será o primeiro trabalho desenvolvido pela Miss.

Lauriela Martins satisfeita com o mandato

A Miss Angola 2017, Lauriela Martins, parabenizou a actual Miss Angola pela conquista, tendo ainda se disponibilizado para apoiá-la, e passar o seu testemunho enquanto Miss Angola, por saber da longa jornada que terá durante o seu mandato. “Desejo-lhe sorte, visto que é novata em Angola. Ela está confiante para carregar o título e representar o país no Miss Universo.

Confi o na escolha do corpo de jurados, que têm essa responsabilidade de escolher alguém que transmita confi ança para representar o país em eventos nacionais e internacionais”, apontou.

A ex-Miss Angola fez um balanço positivo do seu mandato, onde realizou várias acções sociais, como a visita ao centro de acolhimento na província do Bengo, onde efectou doação de cestas básicas.

A miss visitou ainda igrejas, hospitais, lares de acolhimento no CuanzaNorte. Esteve ainda presente numa actividade de carácter educacional com apoio da Polícia Nacional, bem como numa visita ao Hospital de Oncologia. Lauriela Martins avançou que actualmente pretende dar continuidade aos estudos, uma vez que teve de interromper durante o seu mandato.

Últimas Notícias