loader

Inteligência americana acredita que a coreia do Norte continua a fabricar combustível para bombas nucleares, apesar das negociações

Agências de inteligência norte-americanas acreditam que a Coreia do Norte aumentou a produção de combustível nuclear em vários locais secretos nos últimos meses e pode tentar escondê-la, enquanto busca concessões em negociações nucleares com os Estados unidos, disseram autoridades norte-americanas

Numa reportagem na Sexta-feira, a rede NBC que descreveu como a mais recente avaliação da inteligência americana parece ir contra os sentimentos expressos pelo presidente Donald Trump, que twittou, após uma cúpula sem precedentes em 12 de Junho com o líder norte-coreano Kim Jong-un, que “não há mais uma ameaça nuclear da Coreia do Norte ”.

A NBC citou cinco autoridades não identificadas dos EUA dizendo que nos últimos meses a Coreia do Norte havia intensificado a produção de urânio enriquecido para armas nucleares, mesmo quando se engajou na diplomacia com os Estados Unidos. A rede citou autoridades dos EUA dizendo que a avaliação de inteligência conclui que a Coreia do Norte tem mais de um local nuclear secreto além da sua conhecida instalação de produção de combustível nuclear em Yongbyon.

“Há evidências absolutamente inequívocas de que eles estão a tentar enganar os EUA”, disse uma autoridade da NBC. A CIA recusou-se a comentar o relatório da NBC. O Departamento de Estado disse que não poderia confirmá-lo e não fez comentários sobre questões de inteligência. A Casa Branca não respondeu a um pedido de comentário.

O relatório da NBC levanta mais questões sobre a prontidão da Coreia do Norte para entrar em negociações sérias sobre a renúncia de um programa de armas que agora ameaça os Estados Unidos, apesar da apresentação entusiástica de Trump do resultado da cúpula.

A NBC citou um alto funcionário da inteligência dos EUA, dizendo que a decisão da Coreia do Norte antes da cúpula, de suspender testes nucleares e de mísseis foi inesperada e que o facto de os dois lados estarem a conversar foi um passo positivo. No entanto, acrescentou: “O trabalho está em curso para nos enganar sobre o número de instalações, o número de armas, o número de mísseis (…) Estamos a observar de perto.” Jeffrey Lewis, director do Programa de Não-Proliferação do Leste da Ásia, no Instituto de Estudos Internacionais Middlebury, na Califórnia, disse que há duas “notícias bombásticas” no relatório da NBC.

Disse que há muito tempo entendia que a Coreia do Norte tinha pelo menos uma instalação não declarada para enriquecer o combustível nuclear, além de Yongbyon. “Esta avaliação diz que há mais de um local secreto. Isso significa que há pelo menos três, se não mais sítios”, disse. Lewis disse que o relatório também implicava que a inteligência dos EUA tinha reportado para sugerir que a Coreia do Norte não pretendia divulgar um ou mais dos locais de enriquecimento.

“Juntas, essas duas coisas implicariam que a Coreia do Norte pretendia divulgar alguns locais como parte do processo de desnuclearização, enquanto retia outros”, disse ele. A Coreia do Norte concordou na cúpula em “trabalhar para a desnuclearização da Península Coreana”, mas a declaração conjunta assinada por Kim e Trump não deu detalhes sobre como ou quando Pyongyang poderia entregar as suas armas nucleares.

Antes da reunião, a Coreia do Norte rejeitou unilateralmente abandonar um arsenal a que chamou impedimento essencial contra a agressão norte-americana.

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse na semana passada que provavelmente voltaria à Coreia do Norte antes de tentar concretizar os compromissos assumidos na reunião Trump-Kim. Na Quinta-feira, o Financial Times citou autoridades dos EUA dizendo que Pompeo pretende viajar para a Coreia do Norte na semana que vem, mas o Departamento de Estado recusouse a confirmar isso.

Bruce Klingner, um ex-especialista da CIA em Coreia agora no Conservative Heritage Foundation, disse que o relatório da NBC mostrou que a declaração de que a Coreia do Norte não era mais uma ameaça nuclear era “absurda” e que era necessário um trabalho detalhado sobre um regime de verificação. Trump disse na semana passada que a Coreia do Norte estava explodindo quatro de seus grandes locais de testes e que um processo de “desnuclearização total (…) já começou”, mas as autoridades disseram que não houve tal evidência desde a cimeira.

Esta semana, o projecto de monitoramento norte-coreano 38 North afirmou que imagens recentes de satélite mostraram que a Coreia do Norte havia feito melhorias rápidas nas instalações de Yongbyon desde 6 de Maio, mas não pode dizer se esse trabalho continuou depois de 12 de Junho.

Últimas Notícias