loader

Preços de pneus de baixa qualidade atraem automobilistas

A classe dos comerciantes realça que dispõem de material de todas as qualidades, mas na hora da decisão os clientes optam pelo mais barato

Texto de: Milton Manaça

Sem eles, os automóveis não circulam, mas, os de má qualidade, podem resultar em acidentes fatais dos condutores, dos seus acompanhantes e até de transeuntes. Na sequência da denúncia da Associação Angolana de Defesa do Consumidores (AADIC), segundo a qual, a qualidade dos pneus vendidos nas casas comerciais de Luanda está na origem de vários acidentes ocorridos nas estradas, levou a equipa de reportagem de OPAÍS a visitar alguns destes estabelecimentos comerciais.

Os comerciantes, a sua maioria, procuraram descartar qualquer responsabilidade alegando que, tal como em outros produtos, também existem pneus de primeira, de segunda e de terceira qualidade. Tudo depende da opção dos clientes e do seu poder financeiro.

Toibi, vendedor de pneus na rua do Kikagil, no bairro Morro Bento, disse que os clientes, na sua maioria, vão para os mais baratos. Para sustentar a sua posição, o cidadão de nacionalidade mauritaniana apontou, como exemplo, o facto de ter pneus originais alegadamente que estão armazenados há mais de um ano mas, em contrapartida, são preteridos pelos clientes a favor dos pneus de baixa qualidade, por serem mais baratos.

Segundo este vendedor, não tem faltado informação aos clientes sobre a qualidade dos produtos. Todavia, os preços têm pesado na hora da decisão final. “Nós temos produtos de todas as qualidades, mas os nossos clientes escolhem o mais barato”, lamenta Toibi.

Contou ainda que até na Quarta- feira, 27, dia em que prestou tais declarações a OPAÍS, não haviam aparecido ninguém interessado em adquirir um dos seus pneus de primeira qualidade, contrariamente aos demais. Reagindo à denúncia da AADIC, outro cidadão da mesma nacionalidade, que optou por não ser identificado, corroborou, realçando que importam os produtos em função da procura, o que representa retorno do capital investido com a respectiva margem de lucro.

Em função da preferência dos clientes, o volume de importação inclina-se mais para o mercado chinês por oferecer maior oferta desse tipo de produto a baixo preço.

“O cliente angolano só quer pneu barato e nós importamos consoante a solicitação que temos”, salientou.

Perigo por detrás dos preços baixos Durante a ronda, a nossa equipa de reportagem procurou analisar os preços de pneus 235/55R18 (apropriados para viaturas de marca Kia, modelo Sportage, e Hyundai, modelo Tucson) bem como os pneus 165/60R14 (adequados para os veículos de categorias citadino e compacto como Hyundai, modelo i10) por estarem entre os mais procurados.

Constatamos que a diferença abismal do preço de produtos com a mesma dimensão desperta a atenção do cliente. Na loja Mauritalango, situada na Avenida 21 de Janeiro, no Gamek, um pneu 235/55R18 de origem coreana Hankook custa 80 mil Kwanzas.

Entretanto, o preço contrasta com o do pneu com a mesma referência de origem chinesa que custa quase quatro vezes menos, ou seja, 22 mil kz, noutros estabelecimentos comerciais.

Para a viatura modelo Grande i10, o preço dos pneus que dizem ser original rondam dos 22 a 30 mil Kz, já os de origem chinesa estão a ser comercializados ao preço de 9 mil e 500 Kz.

Os comerciantes, que falaram sob anonimato, não aconselham os condutores a fazerem viagens de longo curso com pneus de baixa qualidade por reconhecerem que os mesmos podem estoirar ao longo da viagem e realçam que os mesmos estão aptos apenas para circular dentro das localidades.

Todavia, advertem para os riscos de continuar a circular com estes pneus depois dos 30 mil Km. “O tempo de vida útil desses pneus é 30 a 40 mil km. Quando passa este limite já é arriscado circular”, disse um funcionário da loja Maria Pedro Luís.

“Quem tem dinheiro compra os mais caros”

O automobilista João Francisco, que frequentemente se desloca a várias províncias, diz já ter testemunhado vários capotamentos que supõe terem sido originados pela má qualidade dos pneus agravada pelo mau estado das estradas. Segundo Francisco, condutor há mais de 15 anos, normalmente há desgaste prematuro por parte deste tipo de pneus. “Normalmente, esses pneus só duram entre dois a três meses.

Depois o trilho começa a desaparecer”, referiu. Já Manuel Simão corrobora com os vendedores. “Isto depende do bolso de cada um. Quem tem dinheiro compra pneus mais caros, os outros optam pelos mais baratos baratos”, frisou.

Osvaldo Canuto, por exemplo, condutor há cinco anos, diz que em virtude das viagens inter-provinciais que faz frequentemente, opta sempre pelos pneus que aparentam ser de melhor qualidade, por lhe garantirem maior segurança, embora sejam mais caros.

No seu entender, além do preço, muitas vezes os clientes não têm outra saída senão adquirirem os pneus de baixa qualidade, porque há momentos em que as próprias representante também não têm pneus à venda.

“Eu fui até à representante e não encontrei os pneus para a minha carrinha, não tive recurso senão usar esses”, disse Osvaldo Canuto, que aconselha os seus colegas a optarem pelos produtos de qualidade superior.

As seis melhores marcas de pneus

Um estudo elaborado pela empresa norte-americana J.D. Power, em 2017, distinguiu as melhores marcas de pneus para cada segmento do sector automóvel.

1 MICHELIN Em termos de preços, os pneus Michelin não costumam ser dos mais baratos, mas se considerarmos a duração destes pneus, o preço até compensa.

2 PIRELLI Com alguns modelos de qualidade para carros normais, o estrelato desta marca reserva-se para carros desportivos de prestígio.

3 GOO DYEAR Reconhecida por pneus para camiões ou para carros que vão dos 0-100 km/h numa questão de poucos segundos, a marca americana Goodyear é das mais recentes, com 117 anos de existência, e mais de 67 mil empregados a trabalhar na qualidade da marca.

4 NEXEN A Nexen Tire é a primeira empresa de pneus da Coreia do Sul e está entre as 10 melhores fabricantes de pneus do mundo. Exporta para mais de 120 países.

5. HAN KOO K A Hankook Tire, uma fabricante de pneus com sede em Seul, na Coreia do Sul, foi fundada em 1941. Os pneus desta marca são, muitas vezes, escolhidos para substituir os pneus de origem e famosos pela sua longevidade e aderência irrepreensível ao piso seco e molhado.

6. CONTINENTAL A Continental é uma marca alemã fundada em 1871 que produz várias peças para automóveis, entre elas, os pneus. A marca é reconhecida pela qualidade no que toca a maleabilidade e a controlo em piso tanto seco quanto molhado. A grande vantagem sobre os Michelin é o preço.

Últimas Notícias