loader

SME continua com restrições na emissão de passaportes

Desde o princípio do ano o Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) viu-se obrigado a reduzir o número de passaportes ordinários emitidos no prazo de 30 dias úteis, devido a problemas técnicos. Muitos cidadãos estão há mais de quatro meses à espera dos seus passaportes. Em declarações a OPAÍS, o director-geral do SME, comissário Gil Famoso da Silva, garantiu que dentro de duas semanas, o problema estará resolvido

POR: Hélder Caculo

O Serviço de Emigração e Estrangeiros (SME) está, desde o princípio do ano, com dificuldades para emitir passaportes ordinários em grandes quantidades devido à falta de cédula e algumas falhas técnicas, o que reduziu o número de emissões em todo o país. O problema está a criar transtornos a muitos cidadãos que pretendem viajar para o exterior por questões de trabalho, estudo e até mesmo de saúde. É o caso das cidadãs Helena Pereira e Maria Diogo, que esperam pelos seus passaportes há quatro meses. Helena contou à reportagem de OPAÍS que tratou o seu passaporte em Março do presente ano, na pretensão de viajar para Portugal a fim de cuidar do seu pai que se encontra em tratamento médico naquele país. “Já me desloquei mais de oito vezes às instalações do SME no Cassequel e até hoje o meu passaporte não sai. A informação é sempre a mesma.

Dizem que não há cédulas, por isso, temos de aguardar, mas já se passaram três meses”, desabafou. A cidadã Maria Diogo, de 35 anos, deslocou-se no mesmo período a um dos postos de atendimento do SME, em Luanda, mas passados três meses também não recebeu o seu documento. “É muito complicada a situação que estamos a viver. Desde o dia 28 de Março que tratei o meu passaporte até hoje não recebi. Encontro- me incomodada e pretendo viajar para cuidar da minha saúde, mas com esse problema tive de adiar a viagem e fazer o tratamento aqui. O meu tratamento deve ser mesmo fora do país”, disse. A jovem, que padece de uma enfermidade há mais de cinco meses, recebeu indicação médica para dar continuidade das consultas no exterior devido à falta de condições no país.

“Não basta as dificuldades para conseguir adquirir divisas nos bancos, agora até o SME está a nos condicionar. Pedimos a intervenção do Ministro do Interior porque muita gente está a ser prejudicada”, desabafou. À semelhança das duas interlocutoras, outros cidadãos vivem o mesmo problema. Na ronda que efectuamos em alguns postos de atendimento do SME foram notadas diversas reclamações de cidadãos que aguardam pelos seus documentos há meses. Segundo apurou OPAÍS, as falhas técnicas na emissão de passaportes regista-se um pouco por todo o país.

SME promete resolver “dilema” dentro de semanas

Contactado por este jornal, o director-geral do SME, comissário Gil Famoso da Silva garantiu que dentro de duas semanas, o problema estará resolvido. “Não deixamos de emitir passaportes, continuamos a emitir mas com algumas limitações de natureza técnica. São equipamentos que dependem de investimentos”, justificou. O responsável pede um pouco de paciência aos cidadãos, tendo garantido que já estão criadas as condições técnicas para que o sistema de emissão de passaporte volte à normalidade nos próximos 14 dias. “Há um problema técnico. Como sabem, os nossos equipamentos requerem investimentos e era esse o problema que estávamos a enfrentar, mas que já está acautelado. Acreditamos que dentro de duas semanas teremos o problema resolvido e voltaremos a emitir os passaportes com normalidade”, garantiu o director do SME.

Últimas Notícias