loader

Maria Andrade substitui Jaka Jamba na Assembleia Nacional

A UNI TA refere que a indicação obedeceu à precedência na lista de candidatos ao círculo nacional segundo o regimento interno da Assembleia Nacional

POR: Norberto Sateco

A militante da UNITA, Maria Luísa de Andrade, foi indicada para substituir o malogrado deputado, Almerindo Jaka Jamba, na bancada parlamentar do ‘Galo Negro’ na Assembleia Nacional. A informação foi prestada pelo porta-voz do maior partido da Oposição, Alcides Sakala, esta Quarta-feira, 04, referindo que a medida foi tomada ao abrigo do regimento interno da Assembleia Nacional que prevê, nestes casos, a obediência à ordem de precedência na lista de candidatos ao círculo provincial nas últimas eleições de 23 Agosto.

A deputada recém-indicada para a bancada parlamentar do ‘Galo Negro’ é economista e já exerceu vários cargos de relevo no partido com destaque para a Comissão Política e no Comité Permanente, órgãos de decisão daquela formação política, na qualidade de membro permanente. Para Alcides Sakala, a deputada tem um perfil à altura de proceder à defesa de assuntos candentes de interesse nacional, com realce para a institucionalização das eleições autárquicas que se avizinham. “Penso que ela está preparada para defender os interesses nacionais como qualquer outro deputado da UNITA na Assembleia Nacional”, considerou o porta-voz Sakala, para quem a substituição representa uma mais-valia. Almerindo Jaka Jamba foi um dos negociadores angolanos dos Acordos de Alvor. Foi deputado à Assembleia Nacional e professor universitário.

O deputado e dirigente histórico da UNITA morreu em Luanda, aos 69 anos, vítima de acidente vascular cerebral. “Foi alguém com uma visão muito bem elaborada sobre a reconciliação nacional e, por excelência, um homem de diálogo, que procurava constantemente os consensos. É uma perda irreparável para o partido e para o país”, afirmou Alcides Sakala na ocasião da sua morte. Formado em Filosofia pela Universidade Clássica de Lisboa, em Portugal, foi professor na Escola Técnica do Seixal e no Liceu Nacional de Oeiras. Militante activo da UNITA em Lisboa, em 1972 deixou a capital portuguesa e foi para a Suíça. Em 1975 integrou, pela UNITA, a equipa que negociou, no Algarve, os Acordos de Alvor com o governo português, de partilha do poder em Angola após a independência, tendo integrado, nesse mesmo ano, o Governo de transição, como secretário de Estado da Informação.

Últimas Notícias