loader

Ministério engajado em cadastrar locais turísticos

A ministra da Hotelaria e Turismo, Ângela Bragança, considera urgente a realização de um levantamento e registo de locais turísticos existentes em todas as localidades do país, para que constituam fontes de atracção turística

POR: Brenda Sambo, enviada ao Sumbe

A ministra do Turismo, que discursava na abertura do Iº Conselho Consultivo que decorre desde o dia 04, na cidade do Sumbe, província do Cuanza-Sul, disse que “o castramento imediato dos produtos e ofertas turísticas vai permitir atrair não só turistas nacionais como também turistas estrangeiros”, enfatizou. Referiu ainda que Angola, e em particular a província do Cuanza- Sul, reúne diversas potencialidades naturais que vão inspirar para conclusões que conduzam à implementação de estratégias assim como olhar de forma diferente às potencialidades existentes.

“O que existe em termos de espaços e produtos turísticos já localizados devem ser imediatamente cadastrados e divulgados para usufruto de turistas, quer nacionais quer estrangeiros”, defendeu. A governante avançou que o sector do Turismo encontra- se inserido na estratégica de Desenvolvimento Sustentável e Diversificado, inclusão económica e social, e redução das desigualdades. Por isso, afirma, trata- se de um sector importante, capaz de gerar receitas e também oportunidades de emprego no país. O Conselho Consultivo que decorre sob o lema “Promover o Turismo para Diversificar a Economia e Desenvolver o País” visa encontrar soluções que serão implementadas no sentido de dinamizar o sector do turismo.

Maior sinergia entre os sectores para alavancar o turismo

Na sua comunicação, Ângela Bragança reconheceu que, apesar de existirem algumas dificuldades que ainda condicionam, sobretudo no domínio das acessibilidades, das infra-estruturas, na qualificação dos recursos humanos e uma coordenação multissectorial ainda débil, “É um trabalho que deve ser feito em equipa e só poderá ser feito se todos estiverem juntos”, disse. A titular da pasta do Turismo avançou ainda que, o crescimento do mercado mundial do turismo apresentado periodicamente pela Organização Mundial do Turismo (OMT) dá conta que, o turismo representa 10% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial e oferece inúmeras oportunidades para os países que devem aproveitar e desenvolver as suas potencialidades. Afirmou ainda que, ao nível mundial, a indústria do turismo actualmente experimenta dinâmicas cada vez mais impactantes, com uma forte presença na inovação através das novas tecnologias de informação e comunicação. De acordo com a responsável, essa realidade aproxima cada vez mais os turistas da sua realidade, sublinhando que é isso que deve ser feito no país.

Para a responsável, Angola deve acelerar para igualar-se às outras realidades. “Angola tem inúmeras potencialidades naturais de Norte a Sul, do mar ao Leste, e que devem constituir a plataforma para acção”, referiu. Para tal, adiantou que, aos órgãos centrais do Ministério do Turismo (MINTUR) cabe o papel de orientar, regular, fiscalizar e também controlo do sector. Lembrou que, o Programa de Desenvolvimento Nacional (PND) 2018-2022, instrumento de planificação que implementa estratégias de longo prazo Angola 2025, e que está a ser apresentado no país, estão também plasmadas as metas para o sector do turismo. O Conselho Consultivo que decorre desde ontem vai servir para traçar mecanismos e estratégias que visam o desenvolvimento do sector no período2011-2022. Participam no evento directores nacionais, operadores económicos e membros das associações de todas as províncias.

Últimas Notícias