loader

O ex-futebolista que vende material desportivo

Queria ser um grande jogador. Começou no Congo Democrático. Chegou a Angola com o mesmo desejo, mas o destino traiu-lhe e “atirou-lhe” para o mundo dos negócios

POR: Patrícia de Oliveira

chama-se Muke Miguel Lucau, nasceu em Kinshasa-Congo Democrático há 32 anos. Chegou a Luanda há nove. O sonho de jogar num dos grandes clubes de Angola trouxe Muke Lukau ao país, mas o lateral esquerdo não foi feliz. Por isso, apostou no negócio. Começou por vender cartões de recarga de telemóveis e tinha como rendimento Kz mil por cada caixa vendida. A história de negócio de Muke Lucau desenrola-se nos arredores da Ponte Molhada, em Talatona. Com os lucros que obteve da venda de saldos, decidiu começar o seu próprio negócio, vendendo igualmente recargas telefónicas. E o seu sonho levou-o a pensar noutros vôos. Foi assim que decidiu vender roupas, chuteiras e bolas, em frente de um empreendimento.

Dias depois, a proprietária proibiu-o de continuar a vender em frente da sua loja. Quando pensava que fosse o fim, na verdade era o começo de uma nova história para Muke Lucau. “Arrendei um espaço, remodelei e abri uma loja de venda de material desportivo. Estou satisfeito e tenho outros desafios pela frente”, avançou. Conta que do dinheiro que ganhou resultante da venda dos saldos e de material desportivo (na bancada) que eram Kz 600 mil, pagou Kz 300 mil no aluguer da loja. “A outra parte do dinheiro serviu para comprar equipamentos desportivos, concretamente bolas, chuteiras, camisolas, fatos olímpicos e outros”, revelou. Neste momento o estabelecimento comercial não vende apenas material desportivo, mas também medalhas, timbra camisolas e recebe encomendas de clientes.

O jovem empreendedor, que teve de percorrer mais de mil quilómetros do Congo Democrático para conseguir uma oportunidade no futebol angolano espera agora aumentar o número de clientes. Aberta em Maio do ano em curso e localizado em Talatona, município de Talatona, a loja recebe clientes de todas as idades e nacionalidades que procuram por uma camisola, um par de chuteiras e uma bola. Há quem compre equipamento completo para uma equipa. “Isso acontece mais aos finais de semana, sobretudo às Sextas-feiras. E são mais as equipas dos bairros que procuram pela nossa loja”, explicou. O material, segundo conta, é adquirido em vários mercados de Luanda, com destaque para os armazéns do Hojy-Ya-Henda. “Não sabia onde ficavam vários mercados, mas a necessidade fez-me conhecê-los”, disse.

Projectos

Muke Lucau admite vir a abrir, num futuro breve, outros estabelecimentos em Luanda, e depois pelo país. Diz mesmo que “ gostaria de ter clientes do nível das equipas da primeira divisão ou mesmo da segunda, uma vez que têm mais necessidade.

Últimas Notícias