loader

Research Atlantico: Transaccões no mercado secundário de dívida pública atingiram Kz 82.562,96 milhões em Junho

O montante negociado corresponde a um aumento de 92% face ao período homólogo.

POR: Atlantico

Espaço Angola

O montante transaccionado no mercado secundário de dívida pública situou-se em 82.562,96 milhões AOA, em Junho, o que corresponde a um aumento de 92% face ao período homólogo. O Índice dos Preços dos Produtos Vigiados (IPPV) apurado no mês de Maio registou uma redução de 1% face ao mês anterior.

Espaço internacional

EUA: Os pedidos iniciais de subsídio de desemprego referentes à última semana do mês Junho, aumentaram 1,32% face a semana anterior, situando-se em 231 mil pedidos. • Alemanha: A produção industrial apurada no mês de Maio registou incremento de 3,9 p.p., face ao período anterior, tendo apresentado uma variação de 2,6%.

Visão Atlantico

O montante transaccionado no mercado secundário de dívida pública situou-se em 82.562,96 milhões AOA, em Junho, o que corresponde a um aumento de 92% face ao período homólogo. O aumento do número de operadores aliada a uma maior emissão de Títulos do Tesouro no mercado primário estarão a contribuir para o aumento dos montantes transaccionados. Durante o período em análise as transacções no ambiente multilateral registaram incremento de 198%, enquanto o ambiente bilateral apurou-se uma redução de 9,1%. Destaca-se que no mês de Junho registaram-se transações de 168,77 milhões AOA no Mercado de Registo de Operações sobre Valores Mobiliários (MROV).

O MROV é um segmento do mercado de balcão organizado, que se destina exclusivamente ao registo de operações previamente realizadas, mas não liquidadas, de quaisquer tipos de valores mobiliários, que não estejam admitidos à negociação noutros segmentos de Mercados da BODIVA. A produção industrial apura da no mês de Maio registou incremento de 3,9 p.p., face ao período anterior, tendo apresentado uma variação de 2,6%. A variação mensal da produção industrial da Alemanha reflecte o incremento na produção de bens de consumo, em 6,5%, bens intermédios, em 3% e bens de capital, em 0,9%. Por outro lado, apurou-se aumento na produção de energia e da construção em 0,8% e 3,1%, respectivamente. Destaca-se que o nível de produção apurado representa o maior aumento desde Novembro de 2017.

Últimas Notícias