loader

I edição da Expo Kongo arranca com mais de 60 expositores

A ministra da Hotelaria, Ângela Bragança, procedeu ontem, 8, à abertura oficial da I edição da Feira Internacional do Zaire, denominada Expo Congo, que decorre desde Sábado, 7, na Sede do Governo Provincial, sob o lema “Juntos pela conservação, preservação e desenvolvimento do património nacional”.

Texto de: Antónia Gonçalo, enviada a Mbanza Kongo

O evento que termina amanhã, 10, realizado pela empresa Clincarlos, em parceria com o Governo Provincial, conta com a participação de mais de 60 empresas nacionais e estrangeiras, desde bancárias, de transportes, telecomunicações, farmacêuticas, agrícolas, e de construção civil, como o Banco de Fomento Angolano, Banco de Poupança e Crédito, Macom, Unitel e a Zap.

O acto de inauguração da feira contou com a presença de várias entidades, como a ministra da Cultura, Carolina Cerqueira e o governador provincial, José Joana André. Segundo o governador, o evento de carácter anual tem como objectivo atrair investidores para a província.

“Todos os anos teremos a Expo Kongo, com a intenção de continuar a crescer. Nesta que é a I edição podemos verificar que temos muitos expositores e este é o grande objectivo”, disse o governante. José Joana André referiu-se ao crescimento da economia local com a colaboração do empresariado nacional e internacional.

Organização As empresas Lusofarma, Yong Jin Angola, Greocamp, Ergecon, a Universidade Kimpa Vita, a Empresa Nacional de Distribuiçao de Energia, a Fazenda Girassol e empresas de exploração mineira também participaram no evento com a exposição de produtos e serviços, de modo a atrair clientes, parcerias e investidores.

Participam ainda no evento artesãos e agricultores provenientes dos municípios da província, com a exposição produtos como a mandioca, feijão, batata, banana, cestaria e esculturas. De acordo com o gestor comercial da Klincardos, Clemente Domingos Kabidi, o objectivo da feira de carácter anual é atrair investidores para a província, para além de permitir a troca de contacto entre os participantes para futuros negócios

. “Mbanza Kongo, sendo Património da Cultura da Humanidade, precisa de investimentos. Esperamos que o objectivo do evento seja alcançado a curto prazo, porque precisamos, de facto, de investidores nesta província”, considerou. Clemente Domingos Kabidi avançou que a feira termina com a realização de uma gala, onde serão premiados as empresas, com base nos serviços apresentados.

Expositores expectantes

Os expositores presentes no evento mostraram- se expectantes com a realização da I edição da feira e pretendem participar nas próximas edições. O supervisor comercial da Macom Transportes, Adão Pascoal, disse que a empresa apresenta na feira dois segmentos, a Macom executivo e cargas.

O responsável avançou que o serviço Macom executivo arranca brevemente, na linha Luanda Soyo. “É uma nova linha onde vamos tentar introduzir este serviço, a pedido do senhor governador provincial. Já temos as estruturas, precisamos apenas de reunir algumas condições”, disse.

Avançou ainda como novidade a venda antecipada de bilhetes de passagem, serviço implementado no mês em curso, que permite ao cidadão adquirir o bilhete sem antecipar a data, especificando apenas a rota.

Neste caso, quando o cidadão pretender viajar dirijir-se-á a uma agência da empresa com o comprovativo de pagamento, que lhe permitira marcar a data em que deseja viajar. “É com muitasatisfaçao que estamos aqui a expor na I edicão da feira.

É nossa pretensão investir fortemente nesta região e começaremos com o serviço executivo Supervisor comercial da empresa, pretende neste evento interagir com as empresas e a abertura para possíveis negociações. A empresa apresenta ainda, na feira, serviço de monitoramento (GPS), o SRVP um sistema de venda e reserva de passagens.

O BPC dispõe de vários serviços para os cidadãos, desde abertura de conta, emissão de cartão de débito, depósito BPC transfere e a adesão de terminais de pagamentos automáticos para a classe empresarial.

O director da Região Norte do BPC, Serafim Neves, realçou que a empresa apresenta na feira uma linha de crédito base, para a classe empresarial, para as classes agrícola, agro-industrial e comércio. “Estamos a ter uma ideia base relactivamente à aderência da feira e criamos condições básicas para o efeito.

A espectativa é de aceder ao maior numero de clientes possível”, apontou. O gestor de marketing e relações públicas da Fazenda Girassol, localizada em Luanda e Nzeto enalteceu a realização da feira e referiu que gostaria que o evento fosse realizado de seis em seis meses, de modo a permitir maior intercâmbio e expansão comercial.

Expõe desde alface, salsa, coentro, hortelã, cebolinho, beterraba , nabos e a couve pé, que é a novidade Um dos objectivos da fazenda é o de apostar na diversificação da economia. E a economia ainda é um sector que precisa de ser bem explorado.

“Começamos com algumas debilidades, como o atraso na abertura, mas está a corresponder às espectativas . Cada município apresenta o seu potencial para mostrar que, de facto, vale a pena investir nesta província”, disse. Durante a feira serão realizadas palestras, e outras actividades culturais,

Últimas Notícias