loader

Mundial 2018: Moscovo conhece, hoje, segundo finalista do Mundial

A Inglaterra e a Croácia procuram hoje preencher a segunda vaga para a final, no Domingo, às 16:00

A cidade de Moscovo, Rússia, conhece hoje o segundo finalista do Campeonato do Mundo no embate entre a Inglaterra e a Croácia, às 19:00. No Estádio Luzhniki, o conjunto inglês, campeão do mundo em 1966, parte em vantagem, porque em sete confrontos com os croatas venceram quatro e empataram um.

Por essa razão, o avançado Harry Kane, melhor marcador do certame com seis golos apontados, terão que ‘puxar dos galões’ para justificar o favoritismo. Mesmo com quatro vitórias a seu favor, menos duas que o opositor, a formação croata liderada em campo por Modric e Rakitic reconhece que o histórico faz parte do passado.

Por isso, a selecção que afastou nas “meias” o anfitrião tudo fará para repetir a proeza e garantir presença na final agendada para 15 deste mês. Eric Dier, médio-trinco da selecção da Inglaterra, colocou gelo na euforia que tomou conta dos adeptos britânicos, que sonham com o segundo título de campeão mundial.

“Temos uma grande oportunidade para o fazer. Colocámo-nos numa óptima posição para vencer e a verdade é que estamos com vontade de mais. Não viemos aqui para perder. Estamos apenas focados no próximo jogo e nada mais”, afirmou o jogador. O seleccionador da Bélgica, o espanhol Roberto Martínez, disse que treina “uma geração maravilhosa” que vai enfrentar “uma oportunidade única para chegar à inédita final”.

Vida pode sentir a mão pesada da FIFA

A poucas horas para a meiafinal frente à Inglaterra, a Croácia pode ver-se a braços com mais um problema… daqueles. É que, quando se pensava que a situação em torno de Domagoj Vida teria sido ‘tratada’ com uma multa, um novo vídeo surgiu na Internet, no qual o jogador croata, de 29 anos, vai mais longe nos cânticos, tanto a apoiar a Ucrânia (numa alusão ao passado de conflitos com a Rússia) como a visar dicretamente a Sérvia.

A frase “glória à Ucrânia” é repetida neste segundo vídeo, mas o problema reside no que o defesa entoou depois (enquanto segurava numa garrafa): “Belgrado está a arder!”. Uma frase duríssima, a visar naturalmente a Sérvia e que levou a FIFA à abertura de uma nova investigação.

Últimas Notícias