loader

INEFOP quer maior valorização dos trabalhadores nacionais

O órgão público, que na próxima semana fará a apresentação dos resultados alcançados nos domínios da formação profissional e do emprego no período de 2013-2017, quer uma maior promoção do acesso ao emprego, bem como um asseguramento eficaz e sustentável dos recursos nacionais

POR: Domingos Bento

A directora-adjunta do Instituto Nacional do Emprego e de Formação Profissional (INEFOP), Edgarda Neto, apelou ontem, em Luanda, a uma maior valorização e respeito pela mão-de-obra local durante os processos de selecção e de recrutamento. Segundo a responsável, o país dispõe de recursos humanos nacionais qualificados e competentes que podem contribuir, com o seu saber, para o desenvolvimento e sustentabilidade socioeconómica.

De acordo com Edgarda Neto, nos últimos tempos, o Governo tem vindo a apostar na formação profissional dos cidadãos nacionais, pelo que urge a necessidade de as organizações propiciarem as ferramentas que contribuem para a mudança do perfil técnico e social dos profissionais, através do aumento das suas qualificações e na rápida absorção pelo mercado de trabalho. Neste quadrante, a estratégia de longo prazo “Angola 2025” tem como um dos objectivos a promoção do acesso ao emprego produtivo, qualificado, remunerador e socialmente útil, bem como assegurar a valorização sustentada dos recursos nacionais.

O cumprimento deste pressuposto, segundo a responsável, passa pela valorização e respeito dos trabalhadores dentro das organizações. Assim, com vista a pressionar as instituições a apostarem no capital humano nacional, Edgarda Neto deu a conhecer que o Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, na qualidade de órgão reitor das políticas no domínio do emprego e da formação profissional no país, vai apresentar, nos dias 18 e 19, durante a realização do 4º Encontro Nacional, os resultados alcançados nos domínios da formação profissional e do emprego no período de 2013-2017, bem como perspectivar as metas e desafios para a disponibilização em tempo oportuno da mão-de-obra qualificada.

De acordo com a directora-adjunta do INEFOP, a apresentação destes programas está em alinhamento com o Plano Nacional de Formação de Quadros e com as acções prioritárias preconizadas no Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN) 2018- 2022, tendo como objectivo primordial o desenvolvimento das bases e modelos de sustentabilidade para o Sistema Nacional de Emprego e Formação Profissional, no sentido de estabelecer mecanismos de diálogo permanente para resolução das questões que afectam o Sistema Nacional de Emprego e da Formação Profissional. O referido encontro nacional, que vai contar com a participação de cerca de 300 pessoas, entre governantes, académicos, gestores, representantes sindicais e representantes da sociedade civil, vai ainda identificar soluções que promovam maior envolvimento dos agentes directos e indirectos do Sistema Nacional de Emprego e Formação Profissional a nível central, provincial e local, em acções orientadas para o seu financiamento sustentável e o alcance das metas preconizadas, permitindo uma maior interligação entre a oferta formativa e os operadores do mercado de trabalho.

Últimas Notícias