loader

Suíça desbloqueia USD 60 milhões congelados do fundo soberano

As autoridades suíças desbloquearam cerca de USD 60 milhões dos USD 210 milhões congelados em investigações a suspeitas de lavagem de valores desviados do Fundo Soberano de Angola, anunciou Voz da América citando a procuradoria Suíça.

Em Abril, a procuradoria tinha iniciado investigações criminais na sequência de notícias de que fundos do Banco Nacional de Angola e do Fundo Soberano haviam sido desviados. Durante as investigações, as autoridades passaram buscas a diversos locais incluindo à sede da Quantum Global do empresário suíço-angolano Jean Claude de Morais.

A Quantum Global era associada do Fundo Soberano de Angola e Bastos de Morais é sócio do antigo presidente do fundo, Filomeno dos Santos, filho do ex-Presidente José Eduardo dos Santos. Na altura, foram passadas buscas também à companhia Turtle Management também pertença de Jean Claude Bastos de Morais. Numa declaração ontem emitida, a procuradoria suíça disse que nas investigações inicialmente tinham sido congelados USD 210 milhões em “activos”.

“A procuradoria já descongelou USD 60 milhões do Fundo Soberano de Angola”, disse a declaração. “Os fundos foram descongelados, porque pode ser posto de parte o seu uso por terceiros não autorizados”, acrescentou a declaração. Fundos da Quantum Global foram também congelados nas Maurícias e Inglaterra. Bastos de Morais está proibido de deixar Angola.

PGR já em Luanda

A Procuradoria-Geral da República de Angola, entretanto, em comunicado, anunciou, ontem, a chegada a Luanda, proveniente da Suíça, do o procurador-geral da República, Hélder Fernando Pitta-Groz e a delegação que o acompanha. Na Suiça, o PGR de Angola foi recebido pelo seu homólogo Suiço, com quem manteve uma longa agenda de trabalho. Hélder Fernando Pitta-Groz encontrou- se também com a Ministra da Justiça daquele mesmo Estado. Nos encontros, diz a nota, foram discutidos a cooperação entre as duas autoridades judiciárias, no âmbito da assistência mútua e abordaram as questões operacionais relativas aos processos criminais em instrução na PGR de Angola.

  • Julia Ventura

    Desbloqueou, e’? Uau! Sera’ que o reset economico-financeiro mundial iniciou mesmo? Desbloqueram estes 60 milhoes na base do reset?
    E agora? Vao fazer o que^ com esses 60 milhoes? Ouviram bem, vos avisaram que os 60 nao podem ser usados por terceiros, nao e’? E nem vale a pena tentar desviar e transferir pra Zeuropa e Paraisos Fiscais porque as contas bancarias estao a ser controladas pelo sistema quantico da Alianca. Sabem isso, nao e’?
    Entao? Vao pegar os 60 e construir o tal de mono-rail? Ou vao “oferecer” a construcao a privados? Tem coisas que devem pertencer o Estado, devem ser da Nacao. Esse transporte publico e’ uma dessas coisas. Constroi com engenheiros privados, inspectores privados, mas trabalhadores operarios Angolanos. Todo o transporte e sistema devem pertencer ao Estado. Depois de obras concluidas, bem inspeccionadas, todos os avais obtidos que atestam bom funcionamento, entao pronto, o Estado aluga/arrenda o sistema de transporte a privados para exploracao. Como se faz com casa, predio. Voce constroi e depois aluga e recebe uma boa renda. O Estado e’ o proprietario do mono-rail.
    E tambem lli sobre as minas de ouro. TUUUUDDDOOOO a ser explorado por privados, ou melhor os privados estao com a maior fatia do bolo. Estado ficou com 20, 25, 35% das minas. Uma miseria. Comooooo pooode??? Ainda ontem estava a navegar aqui pela internet e dei com uma materia: Russia e China fartaram-se comprar ouro nestes dois ultimos anos. Ha escassez de ouro no Mundo/Planeta/Terra. E todos paises procurando tu: OURO. E os Angolanos a dormir, com a minas quase privatizadas…
    So’ ‘a chapada, pa!

Últimas Notícias