loader

Transaccões no mercado secundário atingiram Kz 82.562,96 milhões em Junho

O montante transaccionado no mercado secundário de dívida pública situou-se em 82.562,96 milhões AOA, em Junho, o que corresponde a um aumento de 92% face ao período homólogo

POR: Atlantico

Espaço Angola

O aumento do número de operadores aliados a uma maior emissão de Títulos do Tesouro no mercado primário estarão a contribuir para o aumento dos montantes transaccionados. Durante o período em análise as transacções no ambiente multilateral registaram incremento de 198%, enquanto o ambiente bilateral apurou-se uma redução de 9,1%.

Destaca-se que no mês de Junho registaram-se transações de 168,77 milhões AOA no Mercado de Registo de Operações sobre Valores Mobiliários (MROV). O MROV é um segmento do mercado de balcão organizado, que se destina exclusivamente ao registo de operações previamente realizadas, mas não liquidadas, de quaisquer tipos de valores mobiliários, que não estejam admitidos à negociação noutros segmentos de Mercados da BODIVA.

O Índice de Produção da Indústria Transformadora referente ao primeiro trimestre de 2018 aumentou 17,1% face ao trimestre homólogo, ao situar-se em 185,7 pontos. A variação do índice reflecte os aumentos registados na produção nas “Indústrias de bebidas e do Tabaco”, “Indústrias de Madeira” e “Fabricação de Produtos Petrolíferos, Químicos e Outros” de 25,9%, 3,9% e 54,4%, respectivamente. O desempenho positivo do indicador poderá reflectir a redução das dificuldades financeiras, tal como a obtenção de matéria- prima e acesso a àgua e energia conforme demonstrado na conjutura económica do referido sector, que permaneceu desfavorável durante o período em análise. Destaca- se que de acordo com os dados preliminares do Produto Interno Bruto de 2017, os produtos da Indústria Transformadora representam 4,4% do PIB total.

A produção petrolífera referente ao mês de Junho fixou-se em 1,431 milhões barris/dia, uma redução de 5,8% face à produção de Maio, segundo as fontes secundárias do relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP). A redução de 88 mil barris/dia, é a segunda mais acentuada entre os membros da OPEP, com a liderança a ser assumida pela Líbia que reduziu a produção em 254,3 mil barris/ dia, fixando-se em 708 mil barris/ dia, no período em análise. Apesar dos registos referidos, a produção total da Organização registou aumento de 173,4 mil barris/dia, situando- se em 32,327 milhões barris/ dia. O registo de Angola poderá reflectir os constrangimentos no sector petrolífero, que contribuíram para a redução do investimento realizado no sector nos últimos anos. Ressalta-se que a Agência Internacional de Energia (AIE) estima que a produção petrolífera em Angola deverá registar reduções de 370 mil barris/dia, para 1,29 milhões barris/dia até finais de 2023.

Espaço Internacional

EUA A taxa de inflação apurada em Junho atingiu 2,9% em termos homólogos, o que corresponde a um aumento de 0,1 p.p. em comparação ao período anterior. O aumento nos preços de “alimentos”, “energia” e “serviços excluindo a energia” em 1,4%, 12% e 3,1%, respectivamente. Destaca-se que o nível apurado é o maior desde Fevereiro de 2012, e poderá reflectir o desempenho positivo da economia nos últimos meses, com particular destaque para os baixos níveis de desemprego em 4% no mês de Junho, e o aumento dos salários por hora em 0,2%, no mês em análise.

Reino Unido

O Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido apurado em Maio registou variação mensal de 0,3% um incremento de 0,1 p.p. face ao registo do mês anterior. Depois de ter desacelerado no mês de Março, a economia vem registando incrementos consecutivos nos últimos meses, apoiado pelo sector dos serviços que cresceu 0,3%, enquanto o sector da construção reduziu 0,4% no período em análise. O desempenho da economia continua a ser afectado pelas incertezas inerentes ao processo de saída do país da União Europeia. Destaca-se que o actual desempenho é o maior desde Novembro de 2017.

Canadá

O Banco Central aumentou a taxa de juro directora em 0,25 p.p., para 1,5%, após incremento na mesma proporção, para 1,25%, na reunião de Janeiro do ano corrente. A decisão foi tomada em função do desempenho positivo da economia que opera próximo do potencial, com uma taxa de crescimento homólogo do PIB de 2,5% no mês de Abril, do registo da taxa de inflação que se fixou em 2,2% em Maio, no target de 1% a 3% e do dinamismo do mercado de trabalho, com a taxa de desemprego a situar-se em 6%. Por outro lado, a recente imposição de tarifas, por parte dos Estados Unidos da América, ao alumínio e aço canadiano em 25% e 10%, respectivamente, com possíveis efeitos nos níveis de preços, contribuiu, decisivamente, para o aumento da taxa de juro. Destaca-se que o nível da taxa é o maior desde Novembro de 2008.

Últimas Notícias