loader

Agente do SIC acusado de matar jovem no Rangel

O autor do crime que chocou o bairro Terra Nova, distrito do Rangel, em Luanda, já se encontra detido e a família pede justiça e celeridade na tramitação do processo para que seja julgado

POR: Domingos Bento

Um agente do Serviço de Investigação Criminal (SIC), identificado apenas por Sílvio, está a ser acusado de ter assassinado a tiros, na noite de Sábado, o jovem Hermenegildo Lourenço, de 23 anos, no bairro Terra Nova, distrito urbano do Rangel. Segundo o pai da vítima, Calunga Lourenço, tudo aconteceu no decorrer de uma festa, no bairro, em que alguns dos convivas se terão desentendido e arrastado a confusão para fora do “salão”. Naquele momento, Hermenegildo Lourenço encontrava-se a jogar matraquilhos ao pé de uma cantina com um grupo de amigos, quando foi surpreendido por Sílvio que o acusava de ser um dos mentores da confusão. De acordo com o progenitor, de forma a evitar o pior, algumas pessoas que estavam na festa ainda saíram em defesa do seu filho que já estava sob as “garras” do agente do SIC que se mostrava bastante tenso e incompreenso devido ao seu estado de embriagues.

Temendo o pior, segundo conta, os presentes desenvolverem vários esforços no sentido de o agente soltar Hermenegildo, foi em vão. O perfeito domínio de técnicas polícias e a posse da arma de fogo, acabaram por “impor a razão” e amedrontar os intervenientes. Sílvio empunhou a arma e, na sequência, terá efectuado três disparos contra a vítima, atingindo-o num dos braços, no pé e na cabeça. Calunga Lourenço jura, com todas as forças, que o seu filho não esteve envolvido na referida confusão e que nem sabia o que estava a acontecer naquele momento. Foi simplesmente surpreendido e assinado de forma fria. “Antes de efectuar os disparos, inclusive, a dona da festa pediu encarecidamente para que ele (o agente) não tomasse aquela atitude, assegurando que o miúdo não tinha nada a ver com a confusão, mas mesmo assim foi em vão”, contou.

Acrescentou de seguida que “ele simplesmente não quis ouvir ninguém e fez os três disparos como se estivesse a matar um animal. É muito triste”. Para Calunga Lourenço não restam dúvidas de que o estado de embriagues do agente o terá motivado a tomar tal atitude que acabou com a vida de um jovem que, no bairro, era tido como exemplo, devido à sua conduta responsável. “O mais agravante é que a pessoa que o matou não o conhecia. Não sabia que ele era um exemplo, quer na família, como no bairro. Esperamos que ele pague pelo que fez e que a justiça seja feita”, frisou o pai.

Acusado já detido

O intendente Mateus Rodrigues, director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa da delegação provincial do Ministério do Interior de Luanda, confirmou a ocorrência, tendo adiantado que o acusado já se encontra detido, aguardando pelos passos subsequentes. O responsável alertou ainda que está a circular nas redes sociais uma fotografia de um individuo que não tem nada a ver com o acusado. “A foto que está a circular é de um outro agente do SIC que não tem nada a ver com o caso. As pessoas estão a confundir pelo facto de os dois agentes se chamarem Sílvio. Mas o que aparece nesta foto não tem nada a ver com o crime, pelo que as pessoas devem deixar de partilhar, de forma a não causarem danos a inocentes”, advertiu.

Últimas Notícias