loader

Bolondo pinta “Valores no Feminino” na Galeria Tamar Golan

A mostra sob curadoria do artista plástico Patrício Mawete, conta com 15 quadros em formato de dois metros de altura e um de largura. A técnica usada é a de óleo sobre a tela

POR: Jorge Fernandes

A Galeria Tamar Golan, da Fundação Arte e Cultura, acolhe a mais recente exposição individual do jovem pintor angolano Bolondo, intitulada “Valores no Feminino”, que será inaugurada Sexta-feira, 20, às 18 horas, devendo ficar patente até ao dia 6 de Agosto, ficando aberta de Segunda-feira a Sábado, entre as 12 e às 19 horas e 30 minutos. Segundo o seu curador, Patrício Mawete, o esforço do artista centra- se na sua mensagem principal, que é promover e valorizar as mulheres na sociedade, que “procura e consegue elevá-las, em telas plenas de plasticidade cromática, retratando uma técnica apurada ao longo da sua luta permanente pela liberdade.

O que o preocupa “é a vivência das mulheres nas cidades, as suas atribulações quotidianas”, refere o curador. Desse modo, considera Patrício Mawete, o artista espelha as humilhações, as desonras e a violência sofrida, muitas vezes em suas próprias casas, e, arrojado e inovador, o jovem artista confirma o seu potencial e dá corpo a obras de valor, e de valores, no feminino.

Trajectória

Papino Simão Mbongo “Bolondo” nasceu a 5 de Setembro de 1990, no muncípio de Maquela do Zombo, província do Uíge. Desde a adolescência demonstrou paixão e apego às artes plásticas, cujas incursões começaram através do desenho e da pintura e na banda desenhada, que aos 12 anos de idade já dominava. Como muitos dos seus compatriotas, passou parte da sua juventude na República Democrática do Congo (RDC), para onde a família se refugiou durante a guerra civil que durou cerca de 27 anos e assolou Angola.

Naquele país frequentou os seus estudos, tendo obtido a formação académica em Kinshasa, na Academia de Belas Artes. Na capital da RDC, participou em algumas exposições colectivas, designadamente no Centro Wallonie- Bruxelles, em 2009, no Instituto Francês da RDC, Halle de la Gombe, em 2010, no Banco Central do Congo, em 2011, e a inda, no mesmo ano, na Feira Internacional de Kinshasa. Regressado ao país natal, Bolondo realizou duas exposições no HCTA, em Talatona, em 2013 e 2015, tendo nesta última contado com o pintor Mumpasi Meso como seu mestre. A sua mais recente exposição foi no Memorial Agostinho Neto, em Setembro de 2016. “O Que Espera do Futuro?” foi a primeira grande exposição individual do artista em Angola, a 5 de Abril, inaugurada na Galeria Tamar Golan. Assim, a aludida Galeria prossegue assim a sua missão de divulgar jovens talentos nas artes plásticas em Angola.

Últimas Notícias