loader

Chefe de segurança do presidente francês detido por agredir manifestante

O chefe de segurança de Emmanuel Macron foi detido e a Presidência já iniciou o processo de demissão, após a divulgação de imagens em que se via Alexandre Benalla a agredir um manifestante.

De acordo com a agência EFE, Alexandre Benalla, chefe de segurança e um dos colaboradores mais próximos do presidente francês, foi preso por “violência em grupo por uma pessoa encarregada de uma missão de serviço público, usurpação de funções e posse ilegal de insígnias reservadas à autoridade pública”. Fontes judiciais disseram ainda à EFE que Alexandre Benalla foi também preso por “cumplicidade na apropriação indevida de imagens de um sistema de video- vigilância”.

O Ministério Público abriu uma investigação na Quinta- feira, depois de o jornal “Le Monde” ter publicado um vídeo na noite de Quarta-feira em que Alexandre Benalla era visto a agredir manifestantes, o que gerou uma “tempestade política” no país, onde a oposição acusa as autoridades de tentarem esconder o caso. Segundo o canal de notícias francês BFM TV, Benalla foi suspenso do trabalho e do salário por 15 dias e privado dos seus deveres de organizar a segurança das viagens do presidente, para assumir as tarefas de segurança interna no Palácio do Eliseu.

O canal disse esta Sexta-feira, de acordo com a EFE, que o Eliseu já iniciou o processo de demissão, depois de a presidência ter sido informada de “novos factos que constituem outras falhas” por parte do agente e que são objecto de “um processo judicial”. O canal BFM TV acrescentou que três polícias foram suspensos no âmbito deste caso, suspeitos de terem extraído imagens das câmaras de videovigilância da cidade de Paris que mostravam Benalla. “Dois deles são suspeitos de terem copiado as imagens e de tê-las passado para Benalla”, revela o canal BFM TV.

Últimas Notícias