Editorial: Dentro e fora

Mais de 100 académicos congoleses dizem não a um possível terceiro mandato de Kabila Kabila presidente do Congo

Joseph Kabila fez, há dias, um discurso no Parlamento congolês próprio de um Chefe de um Estado em apuros, que precisa de se mostrar forte e que controla o leme. Kabila precisou de enviar aos seus concidadãos uma mensagem de chefe e, sobretudo, de um chefe que tem a necessidade de reafirmar o seu poder e o controlo da soberania do Estado. Mas Kabila sabe que isso não basta, por isso não avançou a sua definição sobre o seu futuro imediato, com relação às eleições deste ano, apesar do acordo de São Silvestre, em que se comprometeu a observar o que diz a Constituição e abster-se de concorrer. Ele sabe, e por isso mesmo vai sair nos próximos dias para medir a temperatura nos países vizinhos. Vai ser muito complicado para ele encontrar apoios que não passem pela sua saída. Mas, depois do discurso para dentro, resta esperar o que ele dirá cá fora.