loader

Aeroporto da Catumbela pode receber vôos internacionais a partir de 201

O aeroporto da Catumbela, na província de Benguela, não pode receber vôos internacionais por não estar ainda certificado pela Organização internacional da Aviação Civil como internacional e alternativo. O processo de certificação deverá ocorrer em breve e, a partir de Fevereiro de 2019, o aeroporto passará a receber vôos internacionais, garantiu o INAVIC

Actualmente com dois voos domésticos diários, o Aeroporto da Catumbela poderá operar vôos internacionais a partir do próximo ano. O aeroporto, que aguarda pela certificação, deve passar a receber aviões de todo o tipo e, em caso de mau ambiente climático ou necessidade, por decisão da tripulação, os vôos com destino à Catumbela poderão aterrar em Luanda e viceversa.

Para Rui Carreira, directorgeral do Instituto Nacional de Aviação Civil (INAVIC), a internacionalização do aeroporto vai aumentar o tráfego aéreo e atrair novos investimentos para a região Sul. São realizados diariamente dois voos no Aeroporto da Catumbela, um operado pela TAAG e outro por uma operadora privada, realidade que o Executivo quer ver alterada em 2019.

Até lá, os grandes desafios dos gestores do aeroporto passam por uma melhor gestão, pelo reforço da segurança e melhoria da rede de energia eléctrica, cuja central, já está em curso, segundo soube OPAÍS.

O Aeroporto da Catumbela foi inaugurado em 2012 e tem duas mangas para embarque e desembarque, e uma pista de três mil e 700 metros.Com uma capacidade para 2.2 milhões de passageiros por ano e para atender mais de 900 pessoas por hora, o edifício do aeroporto, tem centrais para o abastecimento de água, energia e de ar condicionado, elevadores, tapetes rolantes, tapetes de bagagem na área de desembarque para atender duas aeronaves de grande envergadura em simultâneo.

Entretanto, a energia eléctrica é ainda insuficiente para atender às necessidades do aeroporto.

A infra-estrutura possui igualmente 16 balcões para chek-in e 18 para os serviços de imigração, bem como salas protocolares e para clientes em executiva e primeira classes e espaços para restaurante e bares. Está equipado com sistemas de controlo de metais e de acesso, gabinetes para as companhias aéreas, chek-in informatizado e informação electrónica.

Condições exigidas para certificação

Para a certificação o aeroporto da Catumbela precisa de ter os
serviços exigidos pela Organização Internacional da Aviação Civil, que vão desde a disposição da polícia fiscal, Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) à existência de “flight shake”, que faz a calibragem dos equipamentos instalados e que ajudam a controlar os aviões, além de estes se servirem do mesmo sistema para voar.

O processo de certificação internacional faz com que haja observância completa da parte do INAVIC, trabalho que é extensivo à “safety security”, procedimento que vela pelas questões de segurança operacional e interferência ilícita.

A infra-estrutura possui igualmente 16 balcões para chek-in e 18 para os serviços de imigração, bem como salas protocolares e para clientes em executiva e primeira classes e espaços para restaurante e bares.

Está equipado com sistemas de controlo de metais e de acesso, gabinetes para as companhias aéreas, chek-in informatizado e informação electrónica.
condições exigidas para certificação Para a certificação o aeroporto da Catumbela precisa de ter os

Últimas Notícias