loader

Novo encontro Trump-Putin gera controvérsia

A controvérsia à volta da recente cimeira entre Donald Trump e Vladimir Putin ainda não amainou, pelo que a notícia da realização de uma outra neste Outono, promete consumir mais energias à administração

Texto de: Michael Brown em Nova Iorque

Na sexta-feira, a Casa Branca fez saber que o conselheiro para a segurança nacional, John Bolton, iniciou diligências junto do governo russo , tendo em vista a realização de uma nova cimeira, desta feita em Washington.

O novo conclave deverá ter lugar no próximo Outono, ficando por se saber se será antes ou depois das eleições intercalares de Novembro próximo. A possibilidade de a mesma acontecer antes das eleições intermédias preocupa as hostes republicana que gostariam de evitar uma repetição da controvérsia que se assiste agora.

A ideia de uma nova cimeira é vista como sendo prematura, particularmente não se conhecem os pormenores do que Trump e Putin discutiram na conversa que tiveram a sós. Uma sondagem conduzida pela ABC e pelo The Washington Post indica que 50 por cento dos americanos reprovou a forma como Donald Trump conduziu o recente meeting que teve com Vladimir Putin, em Helsínquia. Trinta e três por cento apoiam o desempenho que teve.

A mesma sondagem diz também que 56 por cento dos americanos não gostaram do facto de o presidente dos Estados Unidos ter revelado em Helsínquia que tinha dúvidas em relação às conclusões dos serviços de inteligência dos EUA, segundo os quais a Rússia tinha inteferido no processo eleitoral de 2016, o qual resultou na sua eleição.

O desempenho que o presidente Trump teve na cimeira de Helsínquia reacendeu o debate sobre se Vladimir Putin, tem Informação comprometedora a respeito dele, alegação que ele nega e que o presidente russo rebateu com veemência durante o encontro na capital filandesa. As sondagens sugerem que o presidente Donald Trump foi demasiado brando.

De igual modo, políticos tanto republicanos quanto democratas têm censurado o facto dele ter concordado em reunir-se com o presidente russo, numa audiência a qual apenas tiveram acesso os intérpretes de cada um.

Algumas correntes, incluíndo republicanas receiam que uma nova cimeira venha a gerar uma controvérsia capaz de resultar numa penalização nas urnas. Grosso modo, o partido que ganhas as eleições presidenciais precedentes, sobretudo em situações de crise, acaba por perder as eleições intercalares seguintes.

O partido republicano bate-se ardentemente para manter ou aumentar a maioria que tem na câmara dos deputados a qual é ligeiramente confortável. A maior preocupação está no senado, no qual apenas detêm apenas mais um assento que os democratas.

Últimas Notícias