loader

Incêndios na Grécia matam mais de 50 pessoas e avançam para os arredores de Atenas

Dados provisórios apontam para pelo  menos 50 os mortos devido a este incêndio e mais de 156 feridos. Cerca de 700 pessoas escaparam pela costa de Rafina, em barcos de salvamento e muitos até em barcos de pesca  mas esta solução também traz perigos.

POR: Opais/Euronews

Os ventos provocados pelos incêndios fazem com que a ondulação fique mais forte na zona. Já quatro pessoas foram dadas como mortas nesta fuga pelo mar. As autoridades estão agora à procura de duas outras que desapareceram enquanto fugiam, depois de uma das embarcações ter naufragado. Os restantes foram salvos e estão bem de saúde.

Muitas das vítimas mortais morreram ao tentar fugir do fogo por terra. O mar é o meio mais seguro para muitos, mas outros continuam a fugir por terra, autocarro a autocarro.Fugir é a única solução, mas são vários os cidadãos que ficaram pelo caminho. Na região de Kineta, 50 quilómetros a sul da capital, várias pessoas tiveram de abandonar as casas por causa da proximidade das chamas e pela grande quantidade de fumo.

O vento forte está a dificultar o trabalho dos bombeiros. Mais de 130 operacionais estão no terreno apoiados por cinco aviões e dois helicópteros.O responsável pelos bombeiros da região de Atenas disse à imprensa que a situação é extremamente difícil.Outro fogo que preocupa as autoridades é o incêndio em Pendeli, a região considerada o “pulmão” da capital grega.

Por causa da vaga de calor e do fumo, a Acrópole de Atenas teve ser temporariamente encerrada.

Testemunhas afirmam ter visto pelo menos quatro mortos numa estrada na comunidade de Mati, na região da Ática, a leste da capital. O popular destino turístico, a 40 quilómetros de Atenas, foi devastado pelo rápido incêndio.”Felizmente o mar estava ali e nós fomos para o mar, porque as chamas perseguiam-nos até à água, queimou as nossas costas e mergulhámos na água. Isso lembrou-me da erupção em Pompeia”, afirma Kostas Laganos, residente em Mati.

Yannis Kakoulis também vive em Mati e sente que escapou por pouco a uma tragédia. “O que é que eu posso dizer? Já passou, estamos vivos e isso é o que realmente importa”, diz.Alexis Tsipras antecipou o regresso de uma viagem à Bósnia oara coordenar a resposta. “É um momento difícil para a Ática (região), é uma noite difícil para a Grécia. No momento, mais de 600 homens e mulheres do corpo de bombeiros e 300 veículos foram mobilizados em três grandes frentes”, declarou o primeiro-ministro aos jornalistas.

A Grécia declarou estado de emergência e pediu ajuda à União Europeia para combater os incêndios que estão fora de controlo em vários lugares. Dezenas de casas foram destruídas e as principais vias e ligações foram interrompidas. O exército foi recrutado para ajudar a combater as chamas e as pessoas da região instruídas a fechar as casas e sair.

Últimas Notícias