loader

PRS reitera autarquias em todo país

O secretário-geral do Partido de Renovação Social (PRS), Rui Malopa Miguel, assegurou ontem, em Luanda, que a tarefa de consulta dos cidadãos sobre as autarquias é da competência e da tutela da Assembleia Nacional e não do Ministério da Administração do Território e Reforma do Estado (MAT)

POR: Maria Custódia

Em entrevista a OPAÍS, Rui Malopa esclareceu que o PRS manifestou- se contra desde que tomou conhecimento da consulta pública sobre o pacote legislativo autárquico que o MAT está a realizar desde o mês de Junho e que termina no dia 31 de Julho. “Esta tarefa de consulta aos cidadãos sobre as autarquias é da competência e da tutela da Assembleia Nacional”, frisou.

O responsável disse não entender como alguém que está no poder executivo e que representa um determinado partido político pode encabeçar um projecto da nação. Reiterou a realização de autarquias em todo o território nacional, porque os municípios devem ser autónomos e só assim é que se deve ir a busca da estabilidade, do desenvolvimento e sustentabilidade do país.

Rui Malopa referiu que a eleição daqueles que vão dirigir o país nos próximos anos cabe ao cidadão angolano e, assim “como a CEAST”, fez apelo para que associações devidamente identificadas venham publicamente manifestar o seu pensamento de que não é o gradualismo geográfico ou territorial que vai trazer o desenvolvimento. Segundo o político, deste modo, quando o processo for à Assembleia Nacional (AN) haverá uma inversão dos termos daquilo que é a vontade que o grupo de cidadãos pretende que seja implementado no país. “Se a Independência não foi implementada gradualmente, porque é que as autarquias devem ser implementadas de forma gradual?”, questiona.

Disse que o PRS abraça a posição manifestada pela CEAST sobre a realização das autarquias em simultâneo nos 164 municípios do país. O secretário-geral dos renovadores declarou que o partido tem vindo a realizar um leque de actividades por todo o país para, junto das comunidades, explicar a visão do PRS e o seu ponto de vista quanto à implementação das autarquias em Angola. Referiu que já passaram pelas províncias de Benguela, Huíla, Namibe, Cunene e que neste momento há grupos de acompanhamento a trabalhar nas províncias da Lunda-norte, Lunda- Sul, Malanje, Cuanza-norte, Bié e Zaire.

Últimas Notícias