loader

Índia quer investir na agricultura em Malanje

No âmbito das relações bilaterais entre os governos da Índia e de Angola, o embaixador indiano enaltece o grau de cooperação entre os dois países e augura continuar a desempenhar um papel significativo na expansão das relações inter-pessoais, num clima favorável para o intercâmbio, em vários domínios, entre ambos os povos

POR: Miguel José, em Malanje

O embaixador indiano acreditado em Angola, Srikumar Menon, revelou, em Malanje, recentemente, que um dos desenvolvimentos marcantes do Governo angolano, nos últimos tempos, foi a aprovação de novas leis sobre o investimento privado para encorajar o crescimento e a diversificação da economia e também permitir o desenvolvimento de províncias como Malanje. Com base no anúncio do Ministério da Agricultura e Florestas, de Abril do ano em curso, sobre a produção de algodão e arroz no Norte de Malanje, Srikumar Menon considerou estar aberta a oportunidade para as empresas indianas investirem nas respectivas áreas. Explicou que, do ponto de vista da economia indiana, a agricultura é um dos sectores mais importantes, tendo em conta que “a descoberta da agricultura foi o primeiro grande passo rumo a uma vida civilizada. Porém, expressou a disponibilidade do seu país para partilhar com Angola o conhecimento, as experiências e especialização.

“A agricultura não dá apenas riquezas a uma nação (…), ela continua a ser o único bem que um país pode chamar de propriedade. Esperamos trabalhar com o Governo de Malanje no fornecimento de uma plataforma activa para oportunidades de investimento para empresas indianas, especialmente no sector agrícola”, sustentou. A pedido do Governo indiano, o diplomata disse que, em Novembro de 2009, o Banco de Exportação e Importação da Índia estendeu uma Linha de Crédito para a criação de um projecto têxtil de USD 15 milhões, destinada à criação de uma unidade de descaroçamento e fiação de algodão em Malanje, cujo contrato foi adjudicado à ANGELIQUE INTERNACIONAL, LTD, a quem, para o efeito, foi desembolsado um montante de USD 12,44 milhões. Mas, por nos últimos anos não se registarem progressos no projecto, o diplomata garante o seu empenho pessoal no sentido de o concretizar. “Será meu esforço resolver o assunto”, sublinhou.

Intercâmbio empresarial no domínio do turismo

No domínio do turismo, Srikumar Menon citou a Índia entre as economias que mais crescem no mundo. Além de figurar entre os dez principais destinos turísticos do mundo, a Índia demonstra grande resiliência no sector. Por isso, o mais notável na ascensão da Índia é o seu forte crescimento “dominado por empresas domésticas” e não “impulsionado pelas exportações”. Fazendo um breve panorama dos vários destinos turísticos indianos, exaltou que a Índia é uma confluência maravilhosa do passado, presente e futuro, por oferecer uma variedade de opções para os turistas. No seu ‘pacote’ incluem turismo histórico, aventura e turismo exótico, turismo médico (Ayurveda e outras formas de medicamentos indianos) e turismo espiritual. Malanje, por ser a “casa” da Palanca Negra Gigante e de outros atractivos turísticos naturais, segundo o diplomata, tendo como base os escritórios de turismo que a Índia tem em Joanesburgo (África do Sul), a comunidade empresarial indiana e angolana, em conjunto, podem ser uma ponte entre os dois países, no sentido de, também, contribuírem de forma substancial para o crescimento e desenvolvimento do turismo. “Tal como a vantagem que a Índia obtém com o seu dividendo demográfico, Angola também tem uma população jovem e activa, em que quase dois terços tem idade inferior a 30 anos”, sublinhou.

Formação e capacitação

Outros sim, o embaixador também aproveitou o ensejo para anunciar que a Índia continua empenhada em ser uma parceira na capacitação e formação de cidadãos angolanos. Em razão disso, envida esforços para compartilhar a sua experiência no sector da Educação, por considerar que o desenvolvimento dos recursos humanos é fundamental para o progresso sustentado e a prosperidade de Angola. Em virtude disso, o Governo indiano tem oferecido bolsas de estudo para cursos de pós-graduação a Angola, no âmbito do Programa de Cooperação Técnica e Económica da Índia (ITEC) para cursos técnicos de curta duração, assim como cursos médicos especializados para profissionais de saúde. Porém, neste capítulo, oferece a sua disponibilidade para trabalhar com as autoridades de Malanje no incentivo à uma maior participação dos seus cidadãos no programa de bolsas de estudo na Índia, especialmente os que residem no território malanjino. O embaixador integrou a comitiva governamental que esteve na província de Malanje aquando da “Conferência Internacional sobre Ecoturismo e Informação Ambiental” realizada no município de Kalandula.

Últimas Notícias