loader

Conflitos temporais, humor e realismo conduzem “O Tempo Não Pára”

Durante 132 anos, a família Sabino Machado e seus agregados ficaram congelados, dentro de um bloco de gelo, enquanto a vida lá fora passava. Agora, vão despertar num São Paulo pulsante e turbulento e deparar- se com a sociedade em pleno 2018.

Essa é a trama da nova novela “O Tempo Não Pára”, da Globo, que estreia em Angola no dia 1 de Agosto. Mais de um século alheios às revoluções sociais, inovações tecnológicas e conquistas científicas. Mais de dez décadas sem sequer ter ouvido falar das guerras mundiais, da chegada do homem à lua, da construção de aviões, do surgimento da Internet ou da invenção da penicilina. São anos de avanços e descobertas que moldaram costumes, hábitos e linguagens da sociedade contemporânea e que vão gerar um choque imensurável numa abastada família do século XIX que desperta no século XXI.

Estamos em 1886 e a família Sabino Machado, moradora de São Paulo e detentora de extensas terras para exploração de ouro e minério e investimentos em telefonia, embarca num dos mais seguros navios da época, o Albatroz, a caminho da Europa. Dom Sabino (Edson Celulari), um fiel súbdito da monarquia e que sonha com um título da nobreza, planeia a viagem para conhecer o estaleiro que comprou em Inglaterra. E também manter longe do falatório da cidade a filha, Marocas (Juliana Paiva), que havia acabado de recusar um casamento no altar. A viagem tem um desvio de rota para uma breve visita à Patagónia.

É justamente aí que o Albatroz choca com um iceberg. O navio naufraga e, devido à baixa temperatura da água, grande parte dos passageiros acaba por congelar. No total, são treze pessoas: a família Sabino Machado, composta por Dom Sabino (Edson Celulari), Dona Agustina (Rosi Campos), Marocas (Juliana Paiva) e as gémeas Nico (Raphaela Alvitos) e Kiki (Nathalia Rodrigues); os escravos Damásia (Aline Dias), Cairu (Cris Vianna), Cesária (Olivia Araujo), Menelau (David Junior) e Cecílio (Maicon Rodrigues); o guarda-livros Teófilo (Kiko Mascarenhas); a preceptora Miss Celine (Maria Eduarda de Carvalho); e o jovem Bento (Bruno Montaleone), além do cão fox terrier Pirata. Um imenso bloco de gelo aproxima- se da praia de Santos, em São Paulo, 132 anos depois. Samuca (Nicolas Prattes), empresário dedicado a causas sociais, humanista e dono da holding SamVita e da Fundação Vita, focada em reciclagem, encontra-se a surfar e é o primeiro a avistar aquele monumento.

Últimas Notícias