loader

Samakuva defende consensos sobre modelo de implementação das autarquias

O presidente da UNITA, Isaías Samakuva, defendeu ontem, Sábado, na cidade do Lubango, província da Huíla, o aprofundamento do dialogo, visando encontrar-se entendimento comum sobre o melhor modelo de organização e implementação das autarquias locais para a consolidação da democracia e do desenvolvimento do país

Isaías Samakuva disse que as autarquias, que no país serão implementadas pela primeira vez em 2020, vão conferir autonomia aos municípios, dando liberdade aos cidadãos na escolha dos seus dirigentes e na definição de políticas de desenvolvimento local.

“As autarquias são eleições ligadas aos cidadãos, pois os candidatos a serem eleitos são aqueles que conhecem e vivem o mesmo sofrimento e a vontade da população”, acrescentou, apelando ao envolvimento de todos neste processo. Para si, as autarquias são a única forma de os cidadãos participarem directamente na gestão dos bens públicos.

O líder da UNITA, que falava num encontro que manteve com a comunidade académica, por ocasião do encerramento da IV Reunião Ordinária do Comité Nacional da JURA, disse que os dirigentes políticos devem reflectir e representar a vontade do povo, que passa pela implementação das autarquias.

“Se não houver manobras de última hora, como sabem, teremos eleições já dentro de dois anos, aquelas que se chamam autárquicas ou locais e que, na realidade, vão servir para não só escolher os que nos dirigem, mas vão permitir que nos mesmos participemos melhor na gestão da coisa pública, na gestão daquilo que nos diz respeito”, frisou.

O secretário-geral da Jura, Alicerces Paulo Bartolomeu, disse que a sua organização vai intensificar as campanhas de informação e sensibilização das populações sobre as autarquias. “A nossa linha mestra nesse momento é trabalharmos primeiro para convencermos a juventude de que o que está a ser dito sobre o processo do gradualismo geográfico não é correcto e está a violar a lei”, sublinhou.

O Comité Nacional da Juventude Unida Revolucionária de Angola (JURA) decorreu de 26 a 28 deste mês. O encontro, que juntou membros do braço juvenil do maior partido na posição das 18 províncias do país, visou, entre outras actividades, balancear as actividades realizadas desde a realização da quinta reunião até a data e perspectivar outras acções.

Durante três dias foram abordados aspectos ligados às eleições autárquicas, bem como avaliado o desempenho desta organização juvenil do “Galo Negro” nas eleições de 2017.

Últimas Notícias