loader

Talatona é o epicentro da cólera em Luanda

O Instituto Nacional de Investigação da Saúde afirma ter recebido, entre os dias 11 e 23 do corrente mês, 16 amostras suspeitas de cólera provenientes das províncias do Cuanza-Norte e de Luanda. Talatona lidera o número de casos já confirmados e é tido como o epicentro em Luanda.

Foto de:  Jacinto Figueiredo

O Instituto Nacional de Investigação da Saúde afirma ter recebido, entre 11 e 23 do corrente mês, 16 amostras suspeitas de cólera provenientes das províncias do Cuanza-Norte e de Luanda. Segundo um documento do laboratório deste órgão adstrito ao Ministério da Saúde, no Cuanza-Norte foram registados três casos, todos eles no município de Bolongongo.

Já em Luanda, conforme consta no mapa enviado a OPAÍS pelo Instituto Nacional de Investigação da Saúde, assistiu-se a casos no município da Samba (2), Sambizanga (1), Ingombota (1), Viana (2), Cacuaco (6).

Os dados divulgados indicam que a partir das amostras examinadas isolou-se o vibrão colérico em três indícios, sendo duas de Cacuaco e uma da Samba, de acordo com o documento assinado pela directora-adjunta do referido instituto, Jocelyne Vasconcelos.

Entre os dias 28 de Maio e 23 de Julho, o laboratório do instituto diz ter recebido 68 amostras suspeitas de cólera provenientes das províncias de Luanda (65) e Cuanza-Norte (3).

Nestes quase 30 dias, os dados indicam que se isolou o vibrão colérico em 12 amostras provenientes de Luanda, sendo Talatona (2), Rocha Pinto (1), Samba (3), Belas (4) e Cacuaco (2).

Além das 68 amostras acima mencionadas, outras 52 tiveram resultados negativos e quatro ficaram com resultados pendentes, um dos quais na província do Cuanza-Norte.

Destes, só o de Talatona teve 10 casos negativos, Maianga (4), Cazenga (1), Cacuaco (8), Belas (16), Viana (6), Cassequel (1), Ingombota (1), KIlamba Kiaxi (9), Sambizanga (2) e Samba (4).

Últimas Notícias