loader

Igreja Tocoista património cultural de Angola

A Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo (Tocoista) é um património imaterial e cultural de Angola, cujo percurso histórico deve ser reconhecido por todos, afirmou ontem, Domingo, 29, a vice-governadora de Luanda para o sector Político e Social, Ana Paula Victor, citada pela Angop.

A responsável fez este pronunciamento quando intervinha no culto de acção de graças alusivo ao 69º aniversário da relembrança da Igreja Tocoista assinalado a 25 de Julho, tendo realçado que há lugares e factos históricos que devem ser referenciados na história do país.

Para Ana Paula Victor, esta igreja tem uma longa caminhada de sacrifícios e vitórias que marcam a história genuína de Angola. Realçou que a acção levada a cabo pelo profeta Simão Gonçalves Toco, ao difundir os princípios de liberdade consagrados nas sagradas escrituras, levou a que as autoridades coloniais desencadeassem uma onda de perseguições, torturas e prisões aos tocoistas, com o objectivo de impedir a expansão do evangelho.

Frisou que apesar da oposição das autoridades coloniais a Igreja Tocoista está viva e expandiu se para outros países do mundo, sendo actualmente uma congregação de referência onde se faz presente. Ainda no mesmo diapasão, o director provincial de Luanda da Cultura, Manual Sebastião, em declarações à imprensa afirmou ser justo que se considere a Igreja Tocoista como património cultural de Angola.

De acordo com a fonte, esta Igreja como parceira do Estado, tem-se destacado com importantes acções na moralização da sociedade e nos sectores da Saúde e Educação. Referiu que ao longo dos 69 anos da sua existência, a Igreja Tocoista tem escrito páginas memoráveis em várias vertentes, com destaque para o despertar das consciência dos africanos sobre a necessidade de lutarem pela sua liberdade, assim como na moralização da sociedade.

A igreja Tocoista foi relembrada a 25 de Julho de 1949 pelo profeta Simão Gonçalves Toco, em Leopoldeville (actual Kinshasa).

Últimas Notícias