loader

Carta do leitor: Estamos sitiados

Caro director, Venho sugerir que o jornal OPAÍS faça um bom trabalho sobre o custos das viagens ao interior de Angola, porque está tudo demasiado caro. Se vais de carro próprio, é melhor preparar bem o bolso para o combustível e também para os danos, já que as estradas se mancumonaram com os vendedores de peças e com os mecânicos para lhes dar trabalho. Mas muitas vezes o carro fica sem reparação possível. Se vais de autocarro, não só a passagem não é barata, como se perde um dia inteiro para sair de Luanda ao Lobito. Muito lento. De comboio já não se fala, quando há, é lento e não há o menor conforto. Só mesmo quando vão lá os ministros e políticos, e aplicam a televisão. Mas não andam o dia todo, é só para se filmarem e depois descem. Depois, por fim, há o transporte mais rápido, mas que não nos leva para as nossas “bualas”, nos municípios. Só mesmo de capital para capital. Mas mesmo assim andar de avião agora só mesmo para alguns, é um luxo. De Luanda ao Namibe, a pessoa gasta quase cem mil kwanzas, uma pessoa só. Imagina só se é com a família. Estamos sitiados, cada um na sua “buala” e ninguém visita ninguém. Este tempo, você que viaja é homem, ou então em casa as panelas ficam vazias. O Governo tem de olhar para nós. Assim está mal. A vida em Angola está muito cara, não dá para aguentar. E assim mesmo ainda nos falam de turismo interno, quase lhes dou um muxoxo mazé.

Últimas Notícias