loader

Formação: Abraão Vicente sugere integração da disciplina de Ensino Artístico nas escolas com professores profissionais

O programa visa garantir que a população com menos recursos não fique excluída da arte e possa dar sustentabilidade a pequenas iniciativas das escolas de ensino artístico

O ministro cabo-verdiano da Cultura e das Indústrias Criativas, Abrão Vicente, sugeriu a integração da disciplina do Ensino Artístico nas escolas com professores profissionais para cada uma das áreas.

A sugestão foi feita em declarações aos jornalistas antes de presidir à abertura do espectáculo “BA Cultura em Acção”, decorrido no Auditório Nacional, na Cidade da Praia, para apresentação dos resultados de nove meses de implementação do programa de Bolsa de Acesso à Cultura.

Segundo o ministro, é preciso contratar bailarinos, pintores, dramaturgos, cineastas para ensinar nas escolas, uma vez que, conforme frisou, todas as crianças têm o direito de ter contacto com a cultura e com uma aprendizagem curricular.

“Não podemos deixar os professores de Matemática, de Português, de Inglês ou de Educação Física ensinar as artes que é uma ciência como outra qualquer”, sublinhou Abraão Vicente, indicando que esta é a “luta” do programa de Bolsa de Acesso à Cultura. Instado a fazer um balanço desses nove meses de funcionamento do projecto, considerou um “sucesso” pelo facto de se verificar uma elevada taxa de aprendizado, “como demonstra a exposição de panos, rendas, bordados e artesanato patentes na entrada do Auditoria Nacional”.

Acrescentou que se trata de um programa que abrange 18 municípios e financia cerca de 1500 alunos, com uma abrangência de acima de 2.000 crianças, um projecto totalmente suportado pelo Ministério da Cultura e com perspectivas de um financiamento internacional.

“O projecto chega a ser emocionante, porque ver tantas crianças envolvidas e ocupadas nos bairros, demonstra a sua vertente de inclusão, de integração, de aprendizagem e de empoderamento das crianças e das comunidades”, notou o ministro.

Por esse facto, revelou que o seu ministério negoceia para que ao Orçamento de 2019 seja acrescentado o número de escolas financiadas, pois que nesta fase do projecto 42 já estão institucionalizadas.

O espectáculo “BA Cultura em Acção” contou com a presença de 22 escolas de todos os municípios da ilha de Santiago, em diferentes disciplinas artísticas, nomeadamente uma escola do teatro, cinco de dança, dez de música e seis de exposição.

A criação desse programa tem o propósito de garantir que a população com menos recursos não fique excluída da arte e também dar sustentabilidade às pequenas iniciativas das escolas de ensino artístico, financiando as propinas dos alunos que são de famílias com baixo poder económico para a frequência de aulas, atelliers e workshops de pintura, dança, música e teatro”.

A Bolsa de Acesso à Cultura é um programa que visa massificar o ensino das artes em Cabo Verde, tendo como aposta a inclusão social, dando oportunidade e acesso às crianças e jovens cabo-verdianos.

Últimas Notícias