loader
Mais de 100 académicos congoleses dizem não a um possível terceiro mandato de Kabila

Presidente Kabila visita SONILS e museu de história militar

O Presidente da República Democrática do Congo (RDC), Joseph Kabila realizou nesta Sexta-feira, em Luanda, visitas às instalações da base logística de apoio a exploração petrolífera (SONILS) e ao museu de História Militar. A comitiva do estadista da RDCongo foi informada que o terminal da SONILS, implantado numa extensão de 200 hectares, já beneficiou de um investimento de mais de um bilião de dólares.

O director-geral da base de logística adstrita à petrolífera angolana Sonangol, Hélder Sousa, indicou que o volume de negócios em 2017 rondou os 204 milhões de dólares. Já em declarações à imprensa, Hélder Sousa informou que se regista um abrandamento da prestação de serviços de logística na ordem dos 40 % e que foram despedidos 250 trabalhadores, devido à crise económica que assolou o país.

Disse que continua a registar algumas baixas em termos de facturação. No museu de história militar, o Presidente Joseph Kabila tomou contacto com o acervo histórico da antiguidade à actualidade, com destaque para as galerias que mostram elementos ligados à luta contra a ocupação colonial e a do alcance da paz. De acordo com o director do museu, tenente-general Silvestre Francisco, é uma honra receber a visita de Kabila, que esteve sorridente e descontraído. Silvestre Francisco informou que o museu renova mensalmente o seu acervo, com peças guardadas no depósito da instituição.

Joseph Kabila iniciou na Quinta-feira uma visita de dois dias a Angola a convite do homólogo angolano, João Lourenço, que é igualmente o presidente em exercício do Órgão de Cooperação Política, Defesa e Segurança da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), da qual os dois países são membros. A visita ocorreu numa altura em que se mantém a pressão internacional sobre Joseph Kabila, que já cumpriu dois mandatos como Presidente da RD Congo, o máximo permitido pela Constituição do país. Os dois estadistas manifestaram interesse de reforçar as relações económicas e políticas. Angola partilha com a RDCongo uma fronteira terrestre de mais de mil quilómetros e tem trabalhado no campo diplomático para a obtenção de um desfecho pacífico para a estabilidade no país vizinho.

devido à crise económica que assolou o país.

Disse que continua a registar algumas baixas em termos de facturação. No museu de história militar, o Presidente Joseph Kabila tomou contacto com o acervo histórico da antiguidade à actualidade, com destaque para as galerias que mostram elementos ligados à luta contra a ocupação colonial e a do alcance da paz. De acordo com o director do museu, tenente-general Silvestre Francisco, é uma honra receber a visita de Kabila, que esteve sorridente e descontraído. Silvestre Francisco informou que o museu renova mensalmente o seu acervo, com peças guardadas no depósito da instituição.

Joseph Kabila iniciou na Quinta-feira uma visita de dois dias a Angola a convite do homólogo angolano, João Lourenço, que é igualmente o presidente em exercício do Órgão de Cooperação Política, Defesa e Segurança da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), da qual os dois países são membros. A visita ocorreu numa altura em que se mantém a pressão internacional sobre Joseph Kabila, que já cumpriu dois mandatos como Presidente da RD Congo, o máximo permitido pela Constituição do país. Os dois estadistas manifestaram interesse de reforçar as relações económicas e políticas. Angola partilha com a RDCongo uma fronteira terrestre de mais de mil quilómetros e tem trabalhado no campo diplomático para a obtenção de um desfecho pacífico para a estabilidade no país vizinho.

Últimas Notícias