loader

Cruz Vermelha alerta sobre risco de crise alimentar na Coreia do Norte devido a uma onda de calor

Uma onda de calor na Coreia do Norte fez com que plantações de arroz, milho e outras culturas secassem nos campos, “com efeitos potencialmente catastróficos” para os norte-coreanos, disse a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (IFRC) nesta Sexta-feira.

A maior rede de auxílio para desastres no mundo advertiu sobre o risco de uma “crise de segurança alimentar completa” no país, afirmando que a situação preocupante foi exacerbada pelas sanções internacionais impostas devido aos programas nuclear e de mísseis da Coreia do Norte. Em comunicado divulgado em Genebra, a IFRC disse que não chove na Coreia do Norte desde o início de Julho e que as temperaturas chegaram a uma média de 39 graus Celsius por todo o país, cujo nome oficial é República Popular Democrática da Coreia (RPDC).

A próxima chuva é prevista para meados de Agosto, acrescentou. A população de 25 milhões de pessoas já está estressada e vulnerável com taxas de desnutrição infantil que podem piorar, disse. “Isso ainda não é classificado como uma seca, mas arroz, milho e outras plantações já estão a murchar nos campos, com efeitos potencialmente catastróficos para a população da RPDC”, disse Joseph Muyamboit, gerente de programa da organização em Pyongyang. “Nós não podemos deixar essa situação tornar-se numa crise de segurança alimentar completa. Sabemos que períodos anteriores de seca interromperam o fornecimento de alimentos até ao ponto em que causou sérios problemas de saúde e de desnutrição pelo país”, disse.

Últimas Notícias