loader

Pepino’ vai hoje a enterrar em Benguela

O veterano desportista Alberto da Silva ‘Pepino’, famoso pelas suas infinitas conquistas no mundo do ciclismo, cá em Angola e além-fronteiras, será enterrado na tarde de hoje, às 2h30, no cemitério da Camunda, na província e município de Benguela

POR: Zuleide de Carvalho
em Benguela

O nome de Pepino já foi ouvido e repetido um pouco por cada recanto de Angola, com repercussões internacionais, a partir de Benguela, devido aos gigantes feitos que conquistou com árduo trabalho no ciclismo. A morte repentina, ocorrida na noite do passado Sábado, 11 de Agosto de 2018, levou-o com 95 anos de idade, dois meses antes de somar o seu 96º aniversário, pelo qual os amigos já ansiavam. Para o último adeus a Pepino, que desaparece hoje fisicamente, ser-lhe-ão prestadas homenagens por entidades diversas, não havendo sombra de dúvidas do imenso impacto que o incomensurável atleta causou no sentido de se ser desportista. Alberto da Silva ‘Pepino’ será enterrado no cemitério da Camunda, situado na cidade das Acácias Rubras, na terra que o viu nascer, crescer, florir e, partir.

Antes desse momento, familiares, amigos, admiradores e conterrâneos, estarão reunidos no seu velório, às 12h30, no salão nobre da UNTA, também localizada no município sede de Benguela. O seu caixão, construído em madeira, há décadas, pelo hábil marceneiro, que teve o cuidado de o mover consigo sempre que viajasse, servirá finalmente o fim para que foi arquitectado. E, inclusive o espaço onde será enterrado, no cemitério, foi escolhido ao detalhe e era anualmente visitado por Pepino, para garantir que não daria trabalho a ninguém, quando chegasse o seu dia. Ao partir a marcha fúnebre, a passagem obrigatória será a sua estimada marcenaria “Muxima”, onde dedicou milhares de horas instruindo e formando marceneiros, tendo muito orgulho em dizer sempre que essa era a sua profissão.

Até sempre, Pepino!!!

A 24 de Outubro de 1922 nasceu um menino, que se tornaria num grande homem do desporto, como Angola nunca viu nem, certamente, terá o privilégio de voltar a ver. Registado Alberto da Silva, o mundo conhece-o como ‘Pepino’, o astro mais notável que o desporto angolano teve, que levou a sua fibra e marca da terra para a América, vencendo 3 medalhas de ouro. Pepino foi um atleta exímio até morrer, continuando a pedalar semanalmente dezenas de quilómetros de estrada, entre Benguela e Dombe Grande, preferencialmente, revelando, com 95 anos de idade, energia e genica que muitos adolescentes invejam.

Teve 12 filhos, mas apadrinhou muitos outros, ajudando-os a serem os homens que hoje se tornaram, graças em muito aos seus conselhos sábios e descontraídos. Só na nona década de vida adquiriu o hábito de tomar o pequeno- almoço, compelido pela sua mulher porque, antigamente, limitava- se a tomar uma chávena de chá às 10h da manhã, aguentando- se bem até ao almoço. Com mais de 90 anos, ainda trabalhava diariamente, na marcenaria “Muxima”, um dos seus recantos predilectos, tendo somado mais de sete décadas de profissão como marceneiro. Na fatídica noite de 11 de Agosto de 2018, Benguela perdeu um dos seus filhos mais célebres e antigos, Angola perdeu um patriota e o mundo perdeu um dos seus maiores e melhores ciclistas de sempre!

Últimas Notícias