loader

Apreciada estratégia nacional de prevenção e segurança rodoviária

Um projecto de estratégia nacional de prevenção e segurança rodoviária foi apreciado nesta Sexta-feira numa reunião orientada pelo vice-presidente da República, Bornito de Sousa.

Segundo um comunicado de imprensa da I reunião deste ano do Conselho Nacional de Viação e Ordenamento do Trânsito (CNVOT), a estratégia de prevenção e segurança rodoviária apresenta-se como um instrumento orientador das políticas do Governo para a redução da sinistralidade. A nota indica que o documento deverá ser submetido à apreciação do Titular do Poder Executivo para aprovação. A reunião desta Sexta-feira avaliou também o relatório sobre a sinistralidade rodoviária referente a 2017 e ao primeiro semestre deste ano, tendo observado um ligeiro decréscimo nos indicadores referentes a acidentes fatais.

Dados avançados pelo comandante- geral da Polícia Nacional, Paulo de Almeida, indicam que do ano passado até ao momento ocorreram no país 13 mil 450 acidentes, com dois mil 769 mortos, dos quais mil 189 pereceram em sinistros registados nos primeiros seis meses deste ano. O comunicado da CNVOT considerou positivo, porém insuficiente, o impacto das recentes medidas administrativas e operativas adoptadas com vista a melhorar a da mobilidade e para a diminuição dos índices de sinistralidade, que em Angola constitui a 2ª principal causa de morte depois da malária e a 1ª causa de deficiência física. A nota indica que a sinistralidade faz de Angola o país da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) com a mais alta sinistralidade por cada 100.000 habitantes.

O Conselho recomendou acções integradas para a eliminação dos constrangimentos à circulação que estão na base dos acidentes fatais, causados por atropelamentos, colisões entre automóveis e motociclos, choque contra obstáculos fixos, capotamentos e despistes. Na reunião foi prestada uma informação sobre o estado da rede fundamental de estradas e, particularmente, sobre o troço Luanda/ Benguela/Huíla, na óptica da relação causa/efeito entre as condições de conservação, o considerável défice de mobilidade e os altos índices de sinistralidade rodoviária. Foi ainda apreciado um estudo de base e desenvolvimento de um quadro de acompanhamento e avaliação do plano tripartido (COMESA, EAC e SADC) de transportes e programa de facilitação do trânsito. O estudo enquadra-se no projecto de integração e unificação progressiva das comunidades económicas regionais, alinhado com os objectivos da União Africana.

Últimas Notícias