Aqui, nem em sonhos

A ministra para as Mulheres da Nova Zelândia, Julie Genter, mostrou, no Instagram, a sua viagem de ida para o hospital, onde viria a dar à luz este Domingo de manhã.

POR: José Kaliengue

Ao contrário do que seria habitual, Julie deixou o carro em casa e seguiu de bicicleta, para dar as boasvindas ao primeiro filho. O português Jornal de Notícias tem esta notícia na sua edição online. Dá para ver que a ministra é jovem, trata-se do seu primeiro filho. Ela é ecologista. Normalmente anda de bicicleta. Algum angolano é capaz de imaginar que uma ministra nossa ande de bicicleta de casa para o trabalho e do trabalho para casa? Nada, preferem mesmo ir pagar depois uma clínica qualquer no Brasil para “adelgaçar” as gordurinhas. Se para ir às compras ao supermercado já é o que se vê! E diz-se que a sociedade é também o espelho do que são as suas mulheres. Aqui, simplesmente, e com todo o respeito, não temos mulheres em funções influentes a dar exemplos destes e em termos ambientalistas muito menos. Existem, mas são muito poucas. As parlamentares então, desastre. As nossas, inspiram a juventude com os ouros que exibem, os guardas e motoristas, a arrogância e má educação, a corrida pelo dinheiro e as grifes de marca. É vêr algumas delas a concorrer com os homens na corrupção e na arrogância. Uma vez fui a uma festa de anos de um neto de uma das nossas “super-mulheres”, vi babás e empregadas filipinas e brasileiras, naquele dia perdi a fé na capacidade destas senhoras de influenciarem mudanças positivas.