Carta do leitor: Vai ser duro

Caro director do jornal OPAÍS, Confesso que estou com medo. Tenho medo do que vem aí na Estação das Chuvas.

POR: Claudete Martins
Maianga

Se no Cacimbo já tivemos cólera e aumento dos números da malária, então estou mesmo com muito medo sobre o que poderá ser feito quando começar o calor, as chuvas e as águas paradas. Todos nós sabemos como fica Luanda e como ficam a maior parte das localidades deste país. A chuva e o calor são inevitáveis, mas as doenças e as mortes que elas trazem podem ser prevenidas e evitadas. Eu tenho medo porque toda a gente que me rodeia, no serviço, os vizinhos, em casa, toda a gente se queixa do número de mosquitos que aumentou assustadoramente neste Cacimbo. Então comecei a prestar mais atenção e reparei que nada foi feito. Os esgotos não foram limpos, as valas e riachos na cidade não foram limpos, os focos de capim junto destas valas não foram eliminados. O rio Cambamba, o Rio Seco, etc., estão cada vez mais esverdeados. Claro que teríamos de ter cólera, era inevitável. Agora, não havendo muito dinheiro a circular, tendo o sistema de saúde que conhecemos, e havendo cada vez mais milhares de mosquitos por metro quadrado, quem é mãe tem de ficar assustada, como eu estou. O que será de nós? Não sei se os mosquiteiros e os insecticidas vão resolver tdo, nem os repelentes, que cada vez há menos à venda. Não sei, mas prevejo que esta estação vai ser muito dura para as famílias e para os hospitais. Esperemos que Deus não permita.