Angola espera incrementar a cooperação com a Alemanha

Angola anseia incrementar a cooperação, como resultado da visita que o Presidente João Lourenço iniciou esta Quarta-feira à República Federal da Alemanha, referiu à imprensa o ministro angolano das Relações Exteriores, Manuel Augusto.

O chefe da diplomacia angolana augurou êxitos na visita do Chefe de Estado angolano, uma vez que os dois países têm desenvolvido esforços para fortalecer a cooperação bilateral. Referiu que os empresários angolanos têm estado particularmente envolvidos de forma satisfatória nesta cooperação, o que se reflecte na franja numerosa de homens de negócios que se deslocou a Berlim para participar no Fórum Económico Angola- Alemanha realizado esta Quarta-feira. Angola e a Alemanha têm em uma comissão bilateral que reúne de dois em dois anos e têm realizado fóruns económicos entre os empresários dos dois países, que definiram uma parceria estratégica de cooperação. Para o ministro angolano há grandes expectativas para que o quadro melhore na perspectiva do reforço dessa cooperação, uma vez que a Alemanha é um país com potencial económico e industrial que pode ajudar a desenvolver Angola.

Angola, até ao momento, é o terceiro parceiro mais importante para a Alemanha no continente africano ao sul do Sahara, com um volume de negócios que já chegou a atingir os 800 milhões de euros. Com esta visita, o presidente João Lourenço retribui assim a primeira e única de um chefe de governo alemão federal a Angola, efectuada em 2011 pela Chanceler Ângela Merkel, enquanto em 2009 o então Chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos, pisou o solo germânico para relançar os laços de cooperação entre os dois países.

Na visita que Ângela Merkel efectuou a Angola, os dois países subscreveram uma Declaração Comum de Intenções para aprofundar o diálogo bilateral, visando a criação de uma parceria estratégica. A declaração conjunta, que visava instituir um mecanismo sustentável destinado a um amplo diálogo bilateral de alto nível, prevê parcerias em várias matérias, entre as quais, assuntos “estratégicos ao nível bilateral”, “economia e tecnologia”, “saúde e assuntos sociais”, “cooperação económica e desenvolvimento, formação profissional/ técnica” e “ciência e investigação”. Estes objectivos têm sido também reafirmados pela parte alemã. Em declarações à imprensa, o recém-acreditado embaixador alemão em Luanda, Dirk Lolke, reafirmou o interesse do seu país aumentar a presença de empresários alemães em Angola, bem como em diversificar a cooperação entre os dois países.