Mais Velho Álvaro: Canudo aos 65 anos de idade

Decorre em todo o país a época das cerimónias de graduação para a vaga de licenciados de 2017, segundo o estabelecido pelo calendário aprovado pelo ministério da tutela. No Instituto Superior de Angola (ISA), um ancião de 65 anos de idade recebe o seu canudo de licenciado em Direito e com os olhos postos na docência.

Trata-se do licenciado Álvaro Inocêncio dos Santos, ou simplesmente Mais Velho Álvaro, natural de Quindeje, município do Nzeto, província do Zaire, que hoje recebe o seu “canudo” em Direito, com a particularidade de ser o mais velho no grupo de 100 graduados. Mal conhece a terra natal que abandonou com ano e meio. Trazido pelos pais, fixou-se em Luanda, onde tem estado a viver regularmente, mesmo depois de os seus progenitores terem regressado à terra natal. Ingressou no ensino primário na década de 1960. Em 1974, teve o privilégio de ingressar no Liceu Salvador Correia, onde foi colega de carteira de figuras como Bornito de Sousa, actual Vice-Presidente da República e Aguinaldo Jaime, só para citar estas duas figuras.

A turbulência que se seguiu ao pós-independência no país interrompeu o seu percurso académico, afastando-o assim das lides escolares até à década de 90. Neste lapso de tempo viu colegas de carteira graduarem-se, porém a fé e a convicção levaram-no a acreditar que um dia chegaria a sua vez, o que começou a materializar-se em 2013 com o seu ingresso no ISA. A escolha do curso de Direito é um velho sonho ainda dos tempos da mocidade. Também queria transmitir uma lição de vida a todos: a idade nunca devia ser factor impeditivo para vencer etapas académicas. E porque a academia é “um vício” para o Mais Velho Álvaro, este já frequenta o curso especializado de agregação pedagógica com olhos postos na carreira docente no seu ramo de formação.

“Este é praticamente o início. Logo que terminei o plano curricular tive a informação de que estava a iniciar um curso de agregação pedagógica. Inscrevi-me e tenciono leccionar aqui ou em qualquer outra instituição do ensino superior”. Diz que tem veia para leccionar cadeiras como “Direito do Trabalho e Família ou História do Direito” ou ainda qualquer outra cadeira derivada desta base académica. A recepção do canudo será presenciada pela família, incluindo um dos filhos que chegou da Namíbia, onde estuda gestão, e fez questão de deslocar ao país para testemunhar este glorioso momento. Actualmente funcionário da organização ADPP, Mais-velho Álvaro ambiciona exercer advocacia e prosseguir a sua caminhada académica ingressando num curso de pós-graduação.

“Sempre dispensou a cadeira”

“Emocionante a comovente”, são as duas palavras que um dos seus professores utilizou para descrever os momentos vividos durante o processo de formação do ora licenciado. O Professor Doutor António Francisco Armando, subdiretor geral para os Assuntos Cientificos da instituição, é igualmente docente da cadeira de Língua Portuguesa, revelou que o mais velho Álvaro nunca chegou a exame, porque dado o seu engajamento, sempre dispensou a cadeira com bastante brio, mesmo entre colegas muito mais jovens. Como lição de vida na relação docente-discente, o professor Armando ressalta uma vez mais a máxima, “o conhecimento não tem idade”, que ficou comprovada com o exemplo em causa. É uma valiosa lição para a juventude.

“Isso alegra-nos, enquanto formadores de jovens e adultos, e é uma lição de valor acrescido no exercício da nossa profissão”, ressaltou. Hoje, o Instituto Superior de Angola (ISA) realiza a terceira cerimónia de graduação. Serão 157 licenciados nos cursos de Comunicação Social, Pedagogia, Electrónica e Telecomunicações, Análises Clínicas, Direito, Engenharia Informática, Gestão de Empresas e de Recursos Humanos e Psicologia. O Instituto Superior de Angola situa-se no município de Cacuaco, na Vidrul, e além de centrar os seus esforços no ministrar de cursos de qualidade, presta assistência médica e medicamentosa à comunidade envolvente, numa clínica-laboratório em que são concedidas aulas práticas nos cursos de Enfermagem e Análises Clínicas.