loader

Funcionários do BPC atendem à preocupação do banco de sangue

O Banco de Poupança e Crédito, através dos seus funcionários, procurou atender às necessidades existentes no Hospital Geral de Benguela

POR: Constantino Eduardo, em Benguela

Mais de 20 funcionários da direcção regional do Banco de Poupança e Crédito em Benguela, que compreende as províncias de Huambo, Sumbe e Bié, procederam Quinta-feira, 23, à doação de sangue à hemoterapia do Hospital Geral de Benguela, visando atenuar determinadas carências decorrentes da falta de doadores voluntários. Neste momento, face à de manda de intervenções cirúrgicas, partos – fundamentalmente – realizados quase que diariamente a hemoterapia do Hospital de Benguela precisa de, pelo menos, 20 doadores de sangue por dia. Entretanto, para insatisfação da direcção, os que mais se destacam são os doadores familiares aflitos, para salvar o ente-querido.

Movidos pelo Lema “doe sangue, doe vida”, os funcionários do BPC mostram-se esperançados que o seu gesto vá salvar vidas que acorrem diariamente ao hospital, minimizando as carências de sangue naquela unidade sanitária de referência na província. Joaquim Manuel Segunda, que doou pela primeira vez, lamenta o facto não haver doadores voluntários. Já Inácio Chivinda, acredita que a acção vai adiar a perda de vidas no hospital. A mesma ideia foi partilhada por Kâmia Silva que deixa um apelo à sociedade a seguir o seu exemplo. Por sua vez, a chefe de departamento administrativos da direcção regional do BPC, Elma Borges justifica que a acção circunscreve-se no âmbito do 27º aniversário daquela unidade bancária, celebrado a 16 de Agosto. A responsável descreve o acto como sendo “de solidariedade” e garante maior colaboração com a área de hemoterapia do hospital para outras iniciativas, a julgar pelas informações sobre a carência do líquido que recebem “não são boas. Há sempre um défice muito grande e há muito poucos doadores.

A nível de Benguela, temos 25 colegas (que doaram). Mas, a nível da região, o Huambo teve 10, Sumbe 7 e o Bié também 7”, explicou a responsável, comprometendo com mais acções desta natureza. Por seu turno, o responsável da hemoterapia do hospital Geral de Benguela, Adelino Domingos, enalteceu o gesto e revela que a instituição sob sua jurisdição necessita de, pelo menos, 20 doadores voluntários por dia e lamenta o ritmo baixo de doadores existentes. Adelino Domingos refere que, com 20 doadores por dia, a sua área resolveria as necessidades do hospital no que respeita ao sangue. “No mês passado nós não passamos de 20 doadores voluntários”, disse, em declarações à imprensa.

Últimas Notícias