EUA cancela ajuda de USd 200 milhões a palestinianos

“A pedido do presidente (Don a l d Trump) vamos redirecionar mais de 200 milhões de dólares inicialmente previstos para programas na Cisjordânia e na Faixa de Gaza (…) para programas altamente prioritários em outras zonas”, informou um alto funcionário do departamento de Estado.

A medida “leva em conta os desafios que a comunidade internacional enfrenta para dar assistência em Gaza, onde o controlo do Hamas coloca em risco a vida dos cidadãos e degrada a já terrível situação humanitária e económica”, destacou o funcionário.

O enviado da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) em Washington, Hossam Zomlot, reagiu à decisão afirmando que “esta administração está desmantelando décadas de visão e compromisso dos EUA com a Palestina”. Em Janeiro, os Estados Unidos já haviam implementado cortes drásticos na sua contribuição à agência da ONU para os refugiados palestinos, a UNRWA.

As relações entre a administração americana e autoridade palestina deterioram-se até Trump anunciar a decisão dos Estados Unidos de reconhecer Jerusalém como capital de Israel. Os palestinianos suspenderam o contacto com a administração Trump e consideram que os Estados Unidos já não podem desempenhar um papel de mediação no processo de paz no Oriente Médio.

A decisão de cortar o financiamento aos palestinianos chega num momento de crise humanitária na Faixa de Gaza, onde a violência tem crescido desde o início da actual onda de protestos, em Março, que já deixou 171 palestinianos mortos na fronteira com Israel.