loader

Homicídio: Homem que matou John Lennon vê negada a liberdade condicional pela décima vez

O assassino que matou John Lennon, Mark Champman, está preso há 37 anos e vê negada pela 10ª vez, desde 2000, a possibilidade de ter liberdade condicional. Yoko Ono tinha pedido que continuasse detido

Mark Chapman, o homem que matou John Lennon em Nova Iorque, em 1980, viu serlhe negada a liberdade condicional pela décima vez, segundo a Associated Press. Chapman, de 63 anos, cumpre uma pena de prisão perpétua pelo assassinato do ex-Beatles. Lennon, então com 40 anos, levou quatro tiros fatais em frente da sua mulher, Yoko Ono.

Chapman compareceu perante uma comissão de avaliação de liberdade condicional em Nova Iorque, que negou o seu pedido de liberdade e informou-o de que vai ter de esperar mais dois anos até se poder candidatar novamente. Até lá, continuará detido na prisão de alta segurança de Wende.

O painel que avaliou a situação de Chapman considerou que a sua libertação “seria incompatível com o bem-estar e a segurança da sociedade e depreciaria a natureza grave do crime”, havendo o risco de “minar o respeito pela lei”.

A mesma comissão registou que o assassinato de Lennon é o “único crime” do cadastro, o que, no entanto, não atenua as suas acções. Yoko Ono disse mesmo, antes de ser analisado o pedido, que temia pela segurança dos dois filhos de Lennon, Julian e Sean, caso Chapman fosse libertado.

Haverá um risco baixo de Champman reincidir em crimes e tem um historial limpo na prisão desde 1994, mas, para o painel, nada disso apaga a “gravidade das suas acções ou a perda de vida grave e sem sentido” que causou.

O painel lembrou, ainda, a Chapman: “você planeou e executou cuidadosamente o assassinato de uma pessoa mundialmente famosa sem nenhuma outra razão a não ser ganhar notoriedade”.

Champman está preso há 37 anos, desde o julgamento, em 1981. John Lennon John Winston Ono Lennon nascido em Liverpool, a 9 de Outubro de foi um músico, guitarrista, cantor, compositor, escritor e activista britânico.

Foi um dos fundadores da banda britânica The Beatles, que, em companhia de Paul McCartney, fez parte de uma das mais importantes duplas de compositores do século XX. Em 1966, Lennon conheceu a artista plástica japonesa Yoko Ono, com quem iniciou um relacionamento pessoal, sentimental, artístico e profissional.

Em 1968, Lennon e Ono produziram um álbum experimental, Unfinished Music No.1: Two Virgins, que causou grande controvérsia por apresentar uma foto do casal nu, de frente e de costas, na capa e contracapa.

A partir deste momento, John e Yoko iniciariam uma parceria artística e amorosa, que continuaria até a morte do cantor. Cynthia Powell, a primeira esposa de Lennon, mãe de seu primeiro filho, Julian Lennon, pediu o divórcio no mesmo ano, alegando adultério.

Últimas Notícias