loader

Motoqueiros confrontam polícias à pedrada no Benfica

Em resposta, um dos agentes da Polícia efectou alguns disparos para o ar para inibir os mototaxistas, alguns dos quais foram detidos.

Um grupo de cidadãos que prestam serviços de mototáxi, no bairro Benfica, em Luanda, desencadeou, ontem, um confronto com agentes da Polícia Nacional alegadamente por discordarem dos supostos “abusos de autoridade” de que dizem ser alvo com frequência. Segundo constatou OPAÍS no local, a rebelião deu-se por volta das 11h00 da manhã, na paragem de táxis junto ao banco BFA, nomeadamente na rua que dá acesso ao mercado do Kifica. Na altura, alguns os agentes da Unidade de Trânsito os interpelavam e procediam à apreensão de algumas motorizadas. Como forma de protesto, os mototaxistas apanharam pedras que arremessaram aos carros da Polícia e aos seus efectivos, obrigando-os a acelerar a marcha, ao longo de um trajecto de aproximadamente 100 metros até ao troço principal, que dá acesso à via do antigo mercado do Artesano. Nessa acção, nem mesmo os cidadãos que se encontravam nas paragens foram poupados. Em reacção, a Polícia efectuou alguns disparos ao ar e reforçou a segurança no local.

“Ordem de operação jogada ao chão”

Na ocasião, OPAÍS, teve acesso a uma capa de documentos, encontrada no no chão, assinada pelo comandante da referida unidade, Catarino da Silva, que ordenava a operação no período das 10h00 às 12h00, em que participariam dois subchefes e 13 agentes.

“ Eles só querem dinheiro”

Em depoimento a OPAÍS, o mototaxista Augusto Fernando, visivelmente alterado, realçou que os agentes de trânsito dirigem-se frequentemente ao referido local com o objectivo de apreenderem motos a troco de dinheiro.“Geralmente pedem entre 10 a 20 mil Kwanzas. Se não tiveres levam a motorizada”, denunciou. Pelo facto de ser uma situação recorrente, o jovem revelou que chegaram a contactar a AMOTRANG, (Associação de Mototaxistas de Angola) para intervir junto às autoridades, uma vez que dependem desta actividade para sustentar as suas famílias. “Eu sobrevivo deste serviço. Consegui comprar terreno e construir a minha casa com o dinheiro desta actividade.

Não há emprego, esta é a forma que arranjamos para nos sustentar, merecemos respeito”, exigiu, enquanto era levado pelos braços por um companheiro que temia que o mesmo fosse castigado pela Polícia. Por seu turno, um dos passageiros, sob anonimato, disse que presenciou o momento em que um dos vidros do carro da Polícia foi apedrejado e três mototaxistas foram detidos. A directora do Gabinete de Comunicação e Imagem da Polícia Nacional em Luanda, superintendente- chefe Engrácia Costa, confirmou a OPAÍS a detenção de seis motociclistas no decurso da “Operação Caça-moto” realizada ontem, no Distrito Urbano do Benfica. Segundo a responsável, sobre os mesmos pesam os crimes de desacato à autoridade e a vandalização de duas viaturas, nomeadamente uma da corporação e outra civil. Tendo acrescentado que ainda hoje serão encaminhados ao tribunal do Benfica.

Últimas Notícias