Polícia necessita dos outros órgãos de segurança no combate à criminalidade

A medida visa inibir a sabotagem dos equipamentos sociais e oferecer maior segurança à população

Texto de: Afrodite Zumba

O ministro do Interior, Ângelo da Veiga Tavares, defendeu, ontem, em Luanda, a colaboração dos demais órgãos do aparelho de segurança do Estado para um combate eficaz à criminalidade.

Em depoimento à imprensa, por ocasião da cerimónia de abertura do Conselho Consultivo Alargado do Ministério do Interior (MININT), que decorre na sede da referida instituição, realçou que tal medida visa reduzir os casos de sabotagem de equipamentos sociais, como escolas, hospitais e redes de captação de energia e água que foram registados recentemente e que se têm constituído uma preocupação ao Estado.

A par desta, realçou ainda que a implementação desta estratégia resultará numa maior capacidade de resposta e, subsequentemente, em maior segurança às comunidades, bem como permitir que os próprios cidadãos contribuam para a defesa dos seus interesses colectivos.

“Certamente, o combate destes crimes exigirá maior petulância e, por outro lado, uma coordenação mais activa com a população”, disse o ministro. Outrossim, apelou às entidades judiciais que mediante a aplicação da lei fossem aplicadas sansões “duras” aos cidadãos que cometem tais tipos de crimes.

De acordo com Ângelo da Veiga Tavares, durante os dois dias de trabalho do Conselho Consultivo alargado do Ministério do Interior serão analisados documentos que visam dar corpo a investigação criminal.

Os quadros estão a ser capacitados a lidar com as novas tecnologias para melhor execução dos programas que estão a ser desenvolvidos pelo seu pelouro.