Reforço da cooperação entre Angola e Reino Unido analisado no Mirex

Questões ligadas ao incremento da cooperação bilateral nos mais variados domínios entre Angola e o Reino Unido foram ontem analisadas, na sede do Ministério das Relações Exteriores, em Luanda, pelo secretário de estado das Relações Exteriores de Angola, Tete António, e o secretário-adjunto deste pelouro do Reino Unido, Simon MacDonald.

Angola coopera com a Grã Bretanha há 50 anos, sendo o petróleo e o gás os principais produtos deste intercâmbio no domínio económico. Entretanto, segundo o secretário de Estado angolano, a parte britânica manifesta o interesse de se estender esta cooperação para outras áreas.

“Falamos das questões regionais. Nós temos o acordo de cooperação geral com o Reino Unido desde 1968 além dos domínios em que cooperamos hoje, a própria parte britânica já tinha avançado esta ideia de que temos de ir um pouco mais além”, frisou. A formação de quadros foi igualmente outro aspecto abordado no encontro, segundo Tete António, para quem sem o qual será impossível implementar-se as reformas em curso no Mirex. “Falamos também da formação. O Ministério das Relações Exteriores está a fazer reformas e falamos da formação de quadros porque podemos escrever os melhores papeis e fazer as melhores teorias mas se não tivermos os homens capazes para implementá-las não teremos os objectivos alcançados”, acrescentou.

Por seu turno, o secretário-adjunto das Relações Exteriores do Reino Unido frisou que num universo de 54 países africanos, Angola é o terceiro pais com o qual o Reino Unido tem boas relações de cooperação. Deste modo, numa altura em que o Reino Unido prepara a sua saída da União Europeia, Simon MacDonald disse considerar oportuno o momento para o reforço da cooperação política e diplomática. “Este é um momento importante para Angola e o Reino Unido. A primeira ministra britânica, Teresa May, está neste momento a visitar outros países, uma vez que está em curso o Brexit, a saída do Reino Unido da União Europeia, acreditamos que é o momento de trabalhar e reforçar as nossas relações a nível exterior, sendo que nós já temos relações comerciais com Angola e dos 54 países africanos com os quais temos relações comerciais estabelecidas Angola é o terceiro maior daí, também este interesse”, sublinhou MacDonald.