loader

Carta do leitor: Um povo especial!!!!

Habituamo-nos a reclamar de tudo do Executivo. pedimos água, energia, medicamentos e outros meios indispensáveis à nossa sobrevivência. Somos, talvez, entre os africanos, aquele povo que mais se habituou a denegrir os seus governantes, mesmo nos momentos em que as coisas são bem feitas. vivemos tempos de crise.

É verdade. Mas também somos parte desta crise até por razões que podem ser vistas como autênticos guiões para fi lmes de holywood à maneira angolana. É difícil contar o que se tem passado em relação ao roubo de cabos eléctricos em todo o país, dos contadores de água e até mesmo dos postes de transformação. os autores são muitos daqueles que volta e meia acusam as autoridades de nada fazer no sentido de melhorarem as suas vidas.

Alguns deles são os que na calada da noite engendram planos mil na ânsia do lucro fácil, surripiando até geradores potentes como os que assistimos no Estádio da Tundavala, na Huíla. São os mesmos que no Bié e arredores derrubamos os postes para serem vendidos aos comerciantes oeste-africanos e até nos apoderamos das placas solares para usarmos como enfeite ou nos apropriarmos das pequenas barras de alumínio, que são encaminhadas aos mercados a troco de uns pequenos tostões.

Somos na verdade um povo especial. Um povo que quer melhores condições de vida e ao mesmo tempo faz de tudo para difi cultá-la, refugiando-se nos argumentos de que tudo é responsabilidade do Estado e a nós só nos compete desfrutar. quê país é este?

É o que me tenho perguntado nos últimos tempos, sobretudo depois de ler um jornal, escutar as notícias na rádio ou assistir a um noticiário televisivo. que moral temos de exigir de quem nos governa alguma transparência, se nem conseguimos salvaguardar o poste de energia e o cabo estendido na nossa rua?

É preciso que as autoridades policiais, longe do show off a que nos têm habituado, com televisão a nos mostrarem os resultados de determinadas operações e posteriormente vimos os supostos prevaricadores a se exibirem nos seus bólides, conscientes de que, afinal, o crime compensa.

Espero que sejam punidos todos aqueles que têm prejudicado uma grande maioria por pretenderem o lucro fácil. É claro que a situação económica e social está mais difícil, mas retirando determinados bens dos outros acabamos por endurecer ainda mais as vidas destes.

Rosa Sebastião

Últimas Notícias