Responsáveis das Finanças e Educação da Huíla permanecerão detidos por 45 dias

A decisão decorre de um despacho exarado pelo procurador-adjunto do Serviço de Investigação Criminal (SIC) na província da Huíla, depois de acareados os delegados da Educação e das Finanças e o empresário Costa de Oliveira, acusados de corrupção

Texto de: João Katombela, na Huíla

De acordo com o despacho, datado de 05 de Setembro, a que o nosso jornal teve acesso, Américo Chicoty, director do Gabinete Provincial da Educação na Huíla, Sousa Dala, antigo delegado provincial das Finanças e Costa de Oliveira, proprietário da empresa Ciko Soluções, foram encaminhados à cadeia da comarca da Huíla, por existirem indícios de terem praticado os crimes de peculato, branqueamento de capitais e corrupção activa. “Foram interrogados separadamente e depois ouvidos em acareação com o co-arguido Costa de Oliveira.

Foram seguidamente encaminhados à cadeia da comarca, em prisão preventiva, onde poderão ficar 45 dias”, lê-se no despacho. Durante o processo de interrogatório realizado no Edifício B do Serviço de Investigação Criminal da cidade do Lubango, o director do Gabinete Provincial da Educação, Américo Chicoty, negou as acusações que sobre si pesam, de ter participado no descaminho de cerca de 200 milhões de Kwanzas do sector que dirige.

Em defesa do seu constituinte, o advogado José Carmona disse que Chicoty não praticou o crime de que vem acusado, porquanto, na celebração dos contratos para aquisição dos laboratórios ele era o beneficiário. “Trata-se de um contrato de aquisição de quites de laboratórios, em que ele é o beneficiário e o contrato consignou-se a uma empresa, esta é quem não cumpriu”, explicou.