loader

Boris Johnson diz que plano de Theresa May para o Brexit é um “colete suicida”

O ex-ministro dos Negócios Estrangeiros britânico escreveu um artigo num jornal do Reino Unido a criticar o plano de Theresa May para implementar a saída do país da EU

O ex-ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Boris Johnson, classificou ontem, Domingo, o plano da primeira-ministra Theresa May para o Brexit como um “colete suicida” colocado na Constituição britânica cujo “detonador” está nas mãos de Bruxelas. Johnson demitiu-se do Governo britânico em Julho, na sequência de uma reunião do Conselho de Ministros em Chequers, a residência de campo da primeira- ministra britânica, em que Theresa May convenceu os seus ministros a chegar a um acordo para um “soft Brexit”.

O plano, que ficou conhecido como proposta de Chequers, foi contestado por alguns dos elementos do Executivo que defendiam um Brexit mais assertivo, como é o caso de Boris Johnson, um dos principais rostos da campanha pela saída do Reino Unido da União Europeia.

Na sequência da divulgação daquele plano, Boris Johnson e o ministro David Davis, responsável britânico pelas negociações com a UE, saíram do Governo. Num artigo publicado Domingo no jornal britânico The Mail on Sunday, Boris Johnson acusa a União Europeia de fazer “bullying” sobre o Reino Unido, que está a responder “de forma absolutamente fraca”.

“Em cada momento das negociações, Bruxelas tem aquilo que quer”, escreveu Johnson. “É uma humilhação. Parecemos um fracote de 45 kg a ser ridiculamente dobrado por um gorila de 200 kg”, considerou. Para o ex-ministro britânico, seguir o plano de Theresa May significa abrir o Reino Unido a “chantagem política perpétua”.

“Vestimos um colete suicida na constituição britânica e entregámos o detonador a Michel Barnier”, escreveu Boris Johnson, referindo-se ao responsável europeu pelas negociações do Brexit. O grande problema neste momento para o avanço do Brexit é a questão irlandesa.

Últimas Notícias