loader

Maya Cool e Eduardo Paim protagonizam II concerto “Duetos N’Avenida”

Depois do espectáculo de abertura que contou com Puto Português e Patricia Faria, o projecto “Duetos N’Avenida” prossegue desta vez com os músicos Maya Cool e Eduardo Paim, sob a chancela da Zona Jovem Produções

Texto de: Jorge Fernandes

O concerto tem lugar no próximo dia 22 de Setembro, no palco da Casa 70 em Luanda, a partir das 20 horas e visa valorizar a música angolana, pondo em cena intérpretes das mais variadas vertentes para apresentações em dupla num show de raiz.

Após a apresentação de Maya Cool e Eduardo Paim será a vez das duplas formadas por Gabriel Tchiema e Euclides da Lomba (26 de Outubro) e Bruna Tatiana e Edmazia Mayembe (24 de Novembro). Para encerrar a primeira temporada, a Casa 70 vai receber Yuri da Cunha e Paulo Flores, a 8 de Dezembro.

Em declarações à imprensa, Figueira Ginga, criador da iniciativa, explicou que, para compor as duplas, convidou músicos que, para além da elevada qualidade musical, concordassem em produzir um show acústico, novo e feito a quatro mãos.

“Não serão cinco shows em que cada artista apresentará um fragmento do seu mais recente trabalho e ao final os dois cantarão uma ou duas canções próprias. Na verdade, as apresentações do ‘Duetos’ sairão do zero, de uma produção conjunta com liberdade de criação e repertório, podendo inclusive contar com uma obra de um outro músico a ser homenageado, como foi o caso de Givago na I edição”, assinalou.

Quanto ao próximo concerto, o responsável realçou tratarse de haver uma certa relação de “pai para filho” no encontro que junta Maya Cool e Eduardo Paim, em que a Kizomba é o mote do espectáculo. “Será um encontro de gerações e de uma relação de muita intimidade musical.

Maya Cool começou a tocar profissionalmente o teclado acompanhando Paim, que muito lhe ensinou e foi um dos mentores da sua carreira artística. Enfim, será um reencontro histórico”.

Próximos concertos Por sua vez, o terceiro show desta primeira temporada vai simbolizar a junção da preservação da música angolana tradicional numa vertente moderna, adaptada aos novos tempos (Gabriel Tchiema), com a maturidade na vertente harmonia e composição em músicas intemporais (Euclides da Lomba).

Já as cantoras Bruna Tatiana e Edmazia Mayembe são dois valores da música nacional, em especial de vozes femininas, que se têm notabilizado nas vertentes Zouk e Kizomba com discos de bastante sucesso. E, por fim, ao juntar Yuri da Cunha e Paulo Flores, a Zona Jovem quer oferecer um encontro inesquecível entre dois dos actuais embaixadores do Semba. Dificuldades Figueira Ginga admite não ter sido fácil a escolha das referidas duplas, aliaando a qualidade dos artistas.

Daí essa ter-se constituído uma das dificuldades para prossecução do projecto. Por outro lado, conciliar as agendas foi um outro desafio. Outro obstáculo já transposto foi o cepticismo de que montar um show de raiz fosse um bom caminho: “Mas os artistas estão animados com a ideia, porque é um formato que muitos já pensaram mas nunca fizeram.

O que há de grandioso nesse tipo de iniciativa é o fazer. E nós estamos a fazer”, garantiu. Continuidade A ideia de uma segunda temporada em 2019 é concreta, segundo a Zona Jovem, que irá escolher outros artistas, assim como outros lugares estratégicos.

A organização do projecto garante ainda que no decorrer desta a primeira temporada, realizará apresentações em ambientes corporativos, embora não precise as datas. “Serão shows intimistas e por isso adaptáveis a diferentes palcos e plateias”, avisou o idealizador do “Duetos N’Avenida”, Figueira Ginga, que se mostra bastante confiante e optimista com os resultados que o projecto possa vir a dar.

Últimas Notícias